“Cheia de sol” 

Hoje a minha primogênita completa 6 aninhos de vida!

Nesse último ano ela, pela primeira vez em um ano, não quase morreu nenhuma vez! rs

Ela virou beijoqueira e aprendeu a apreciar um carinho mais longo.

Ela aprendeu a comer!!!

E engordou meio quilo!

Ela esteve bem mais largada do que nos anos anteriores… =\

Mas não perdeu a doçura e nem uma gotinha de amor!

Ela ganhou um irmão novo e rapidamente se incubiu da tarefa de cuidar dele. E segue firme na esperança de que ele aprenda logo a jogar o brinquedo pra ela..rs

O primeiro brinquedo que o Dante segurou na vida foi ela quem entregou pra ele! rs

Ela já não tem tanta paciência pra irmã pentelha, mas AMA dormir do ladinho dela no sofá!
Já dá pra notar que ela está envelhecendo, que já não tem mais o mesmo pique de antes e me dá um frio na espinha lembrar que a vida dela será tão mais curta que a nossa…

O meu maior desejo (ultimamente) é que ela viva tempo suficiente pros irmãos poderem curtir muito, pra que eles se apaixonem perdidamente, a cada dia mais, e pra que possam ter lindas memórias dela quando crescerem!

Parabéns, minha bolinha!!! Que você seja muito e sempre mais feliz! E comemore ainda muitos e muitos aniversários com a mamãe! E que eles sejam como hoje, com direito a passeios especiais, latas de atum e muita apertação – quem sabe um dia você aprende a gostar dessa parte…! Hehehe!

Anúncios

“Deixar o seu amor crescer e ser muito tranquilo” – 4 meses

Feliz 4 meses (e 2 dias), meu Delício!!!
Te amo tanto, tanto… 

E como forma de desculpa aos pacientes leitores pelo abandono descarado e vergonhoso desse blog, deixo também esse agradinho aqui:

(Vocês já sabem, né?! Uma hora eu volto… eu sempre volto! )

“Deixar o seu amor crescer e ser muito tranquilo” – 3 meses


3 meses dele – que me ensina tanto sobre leveza que parece até ironia, ou no mínimo um paradoxo, chamá-lo de “Gordinho”…

Mas, digam aí, com essas bochechas, essas dobras e esse queixo duplo, adquiridos a base de muito leite materno (❤️), vou chamar ele de que? “Peso Pena”?? Hehehe
Te amo, meu porcaria!!! 

Obrigada por cada vez que você me traz à superfície pra respirar! ❤️

“Deixar o seu amor crescer e ser muito tranquilo” – 2 meses

Filho:
Hoje você faz dois meses de vida! 2 meses inteiros vivendo ao nosso lado, completando nossa família e me deixando apaixonada!

Essa semana me dei conta de que estou vivendo e sentindo um clichê: faz só dois meses que você chegou, mas é como se você estivesse sempre estado aqui! Eu te amamento com a sensação de que fiz isso minha vida toda (e não contam os 22 meses que amamentei sua irmã, to falando de amamentar VOCÊ mesmo!). Você reclama e eu sei porque é. Você sorri e eu sei porque é. Eu passo por perto e você me prende com o olhar. Eu me afasto, você me chama.

É como se já nos conhecêssemos perfeitamente. E desde sempre!

Que loucura isso, filho! E que amor!!!
É claro que eu sei que ainda me surpreenderei muito com você, que ainda aprenderei muito… Que viveremos juntos muitas “primeiras vezes”… E que ainda terei muito Dante pra conhecer…

Mas por enquanto estou (estamos!) curtindo muito essa fase dessa simbiose maluca – com uma leveza que só conheci depois que você chegou! 

Que venham muitos mais meses deliciosos assim!!
Parabéns, meu amor!!!

“Na tua presença” – 30 meses

Filha:Ontem você completou dois anos e meio de vida!

E as redes sociais me lembraram do post que escrevi quando você completava apenas 6 meses.

Ao reler, ri porque apesar de reconhecer aquele sentimento na memória (com gostinho de “parece que foi outro dia”), também fiquei pensando que a Gabi que escreveu aquele texto mal sabia tudo de Cecília que ela ainda tinha pra conhecer!

Mas é curioso como a vida dá  voltas e se repete. E como ao mesmo tempo em que rio da inocência daquela Gabi, me identifico com o sentimento descrito.

Aqui, do alto dos seus 2 anos e meio, estamos justamente lidando com a sua própria descoberta sobre quem é você!

Sabe, é nessa descoberta que mora o famoso “terrible two”, porque enquanto você se descobre você nos separa, nos diferencia e nos nega. É lindo de ver você se construindo. Mas é difícil pra caramba de lidar! rs

(Especialmente no meio do turbilhão que é a chegada de um irmãozinho, aliás!)
É difícil, é estressante, é cansativo! Tenho me esforçado muitíssimo pra não perder a paciência, pra não gritar (demais), pra não perder o respeito (nunca). Tenho buscado novas ferramentas pra manejar essa nova fase. Tenho observado curiosa e encantada essa nova Cecília.
Hoje, menos inocente do que há 2 anos, sei que estamos vivendo um recorte, um pedaço do caminho para o que é e ainda será a minha Cecília. Mas como diz o clichê, hoje sei também que o mais importante é saborear o caminho e não torcer pra que o “destino” chegue logo.

Mesmo quando o sabor de vez em quando é picante ou amargo! rs
Feliz 2 anos e meio, meu docinho!!! ❤️

 

Agora com a tradicional montagem! 🙂

IMG_4015

Praticamente impossível fazer ensaio com ela…hahaha

 

AND, com making of da nova foto de capa! hahaha

IMG_4016

 

IMG_4017

 

“Deixar o seu amor crescer e ser muito tranquilo” – 1 mês

Ontem meu gordinho completou seu primeiro mês de vida! 

E, gente, ele é TÃO delicinha, sou completamente apaixonada !!! (e nada suspeita! Hahaha)

Descobri, aliás, que eu amo recém-nascido! O cheirinho, a molenguice, a “rotina”, as mamadas, o jeitinho encolhido de se aninhar no colo, o chorinho ardido, os gritos… Acho tudo isso tão gostoso que nem me importo tanto com os perrengues que vem junto! Hahaha
Nosso primeiro mês aqui foi intenso – especialmente a última semana, como vocês podem imaginar..rs

Tão diferente do meu primeiro mês como mãe da Cecília… Mas ao mesmo tempo com tantas semelhanças, que trazem lembranças e saudades..

Dante mudou muito nessa última semana! Teve um salto de desenvolvimento super claro! Agora fica mais tempo acordado, fixa o olhar na gente e nos segue, procura por barulhos (minha voz especialmente! ❤️), já mudou padrão de sono, tá bem menos com aquela cara de peixe que os bebês nascem (rs) e ficando cada vez com a carinha mais esperta!

É lindo como em só um mês aprendemos tanto e nos conhecemos tanto – e  mais incrível ainda pensar em tudo que nos espera! 

Mas quero registrar que não tenho a menor pressa pra esse “tudo que nos espera”! 

Cada vez que o dia aperta e me pego fazendo contagem regressiva pra hora de todo mundo ir pra cama, tenho tentado me lembrar daquela frase: “os dias são looongos, mas os anos são curtos”. Melhor viver com calma, então, cada momento, né?!

Calma, aliás, tem sido minha palavra de ordem; aquilo que eu quero, que eu busco e que preciso! Pra que esse novo caminho seja mesmo muito tranquilo!

“29” + 1

Ontem eu trintei, minha gente!
Eu tinha uma curiosidade de saber como seria chegar nos 30, se teria crise, se teria revisão da vida, se teria festão…

Nas semanas anteriores ao aniversário eu até comecei a planejar juntar os amigos no karaokê pra cantar e comemorar e afogar a crise em coxinha e kibe, caso ela aparecesse. Aí desisti… (até porque o dinheiro que eu gastaria em coxinha, kibe, brigadeiro e beijinho precisou ficar reservado pro meu super presente de aniversário – que eu só volto pra contar no próximo post!)

Resolvi então marcar um almoço na véspera com o grupo de amigos e só. Comemos muita carne, me acabei num super bolo de chocolate, demorei uns (10) minutos pra perceber que tavam cantando parabéns pra mim (hahaha), usei a Cecília de “escudo” na vergonha do parabéns (hahahahaha) e foi isso!

No final do dia bateu uma crise de saudade e solidão, uma ameaça de revisão da vida… Mas na manhã do aniversário propriamente dito mandei tudo embora. Resolvi que a ordem dos 30 seria comeRmorar: adicionei ao pacote do dia anterior um café da manhã delícia com uma amiga, um almoço no burguer king (me julguem..rs) com a Cecília (me julguem mais ainda) e arrematei tudo com uma paella de mariscos sucesso na janta!!
E aí pronto, acabou o aniversário. Tenho 30 anos. Não aprendi a usar filtro solar. Mas aprendi a usar regularmente fio dental faz coisa de um mês.rs Ainda não sei o que fazer da vida. (apesar de ter uma paixão muito clara nos últimos anos). Tô cheia de hormônios e saudades e filhos e amores.

E esse aí é o máximo de “balanço” que vou me permitir agora. 😉

“Não dá pra falar muito, não”

Essa noite sonhei que eu e o Lucas estávamos visitando aquela que seria nossa nova casa, recém construída, ainda vazia e cheirando a tinta. Era uma mansão enorme e incrível, com 8 pias no banheiro, pra cada um escolher qual quer usar em qual circunstância e, no quintal, uma espécie de parque de diversões com uns brinquedos muito malucos e divertidos! Mas o mais legal dessa casa era que quase toda a volta dela dava diretamente pro mar, como se ela fosse uma ilha. E de uma das varandas principais, esse mar dava pro Brasil! A gente chamava da janela e nossos amigos e familiares apareciam na praia do lado de lá pra dar um oi, ver a gracinha nova da Cecília ou até dar um mergulho e vir nadando nos visitar! Imagina que sonho?! ❤

Hoje faz 5 anos que nos mudamos do Brasil pela primeira vez. O que significa também que faz pouco mais de 1 ano que estamos morando aqui na Espanha.

Ao longo desses anos escrevi sempre sobre esse nosso aniversário, alguns post que eu gosto muito, aliás e  vocês podem ler aqui, aqui e aqui.
Mas já notaram que eu escrevi pouquíssimo sobre a vida na Espanha?

 A verdade é que eu, que me achava A ADAPTADA, expatriada de profissão (rs), não me adaptei completamente aqui.

Não consigo explicar racionalmente a saudade que sinto do Chile, porque não deve mesmo ser racional, afinal, aqui a qualidade de vida é melhor, é mais seguro, vivemos num bairro que parece de mentirinha de tão charmoso e todas aquelas vantagens famosas de se morar na Europa. Mas a verdade é que deixei um tantão do meu coração lá e esse tantão certamente faz falta pra que o aqui possa me conquistar de vez!

Como eu já disse, essa coisa de se saber tão longe ainda pega forte pra mim.

Sei lá, é psicológico mesmo..rs. Mas era muito mais fácil este longe do meu país e das minhas pessoas quando eles estavam mais perto e mais acessíveis.

Enfim, esse poço de emoções descontroladas que sou eu agora (hahaha) não tem um post emocionado sobre o aniversário de hoje. Acho que não me abri o suficiente pra aprender coisas com a vida na Espanha e vir aqui escrever sobre os aprendizados do último ano. 

O que sim fica claro pra mim é que não importa  quantos anos passem, cada um deles é contado, é sentido e é significativo quando se trata de mudança, de distância e de vida nova – adjetivo, aliás, que parece nunca perder o sentido e o frescor nas aventuras do lado de cá!

“Na tua presença”- 2 anos!

Ontem, filha, você completou dois aninhos!

Dá pra acreditar? Já fez dois anos que vivemos aquele dia incrível

 

de447-img_4076

 

O dia em que eu descobri que posso fazer qualquer coisa nessa vida. O dia em que descobri em mim uma força e um poder tão enormes que só podiam mesmo ter vindo do mar de amor que me inundou lá pelas  18:30 do dia 24/01/2014 (porque nos seus primeiros minutos de vida eu era mais incredulidade do que amor, confesso! Hehehe)

Faz dois anos que eu senti seu corpinho quente no meu colo pela primeira vez! E nesses dois anos que passaram essa foi, sem dúvida, nossa configuração preferida: você quentinha aninhada no meu colo!

 

Dois anos.

E eu me lembro daquele dia como se tivesse sido ontem. De tudo!

(Mas o louco da história é que eu também esqueci muita coisa dos dois anos que vieram em seguida…vai entender cabeça de mãe, né?! Dizem que a gente esquece das dificuldades pra sobrevivência da nossa espécie… Qualquer dia você conversa com seu tio Guto sobre esse assunto! hehehe)

Dois anos!

Anos esses que eu acompanhei extremamente de perto, em que vivi juntinho de você praticamente todos os 63072000 segundos da sua vida.

Mas mesmo assim, ainda me assusto diariamente com o seu tamanho. Com sua atitude de gente grande. Sua percepção de tudo. Sua relação com o mundo em volta. Com o tantão de palavras inusitadas que você conhece e sabe usar direitinho (inclusive umas que não deveria saber! rs). Com suas conjugações verbais. Com suas gracinhas e seus charmes irresistíveis. Com a sua memória incrível! Com as habilidades novas que surgem a cada dia… Que demais que é isso tudo, filha!!!

Me surpreendo, claro, tanto quanto me encanto!

Justo eu, que achava que seria sofrido deixar “minha bebe pra trás”… mas a verdade é que apesar de morrer de saudades da minha pacotinha, descobri me delicio muitíssimo vendo você crescer e se tornar tão “menina grande”, tão “gente”!

E me emociono ao reconhecer diariamente nessa menina a mesma doçura que você sempre teve no olhar e o mesmo sorriso sapeca que parece que nasceu com você!

Porque, afinal, essa menina grande é você, filha! Meu amor, meu pacote, minha pica-pau, minha Chinchila… é você crescendo e se tornando cada dia mais você! Que sorte a nossa!!!

 

Parabéns, minha deliciosa!!! Eu desejo todos os dias que sua vida seja sempre assim: de crescimentos e aprendizados, de surpresas e encantamentos, de bagunças e chamegos – porque há dois anos essa é sua essência e torço pra que continue sendo sempre!!!

 

Te amo mais do que seria possível explicar em palavras!

 

12628528_10156371429760214_7736547538661763064_o

ps.: notei que sempre que eu preciso pensar em um “tema” que represente você acabo escolhendo o “Colorido”! Foi assim quando montamos seu primeiro quarto, lá no Chile, e quando o remontamos aqui na Espanha; foi assim quando comemoramos seu primeiro aniversário e foi assim outra vez na semana passada, pensando na sua festa dos dois anos!

A repetição não é intencional…acontece que essa é a maior representação do que você significa na minha vida: COR!

É que faltava você, filha, pra pintar meu mundo de tantos tons e me mostrar que a vida monocromática não está com nada!!! Obrigada por isso!!!

 

“Na tua presença” – 16 meses

Cecília:

Ontem você completou 1 ano e 4 meses e eu fiquei me lembrando do ano passado, quando você completava no Brasil seus primeiros 4 meses de vida, na sua primeira viagem, quando conheceu pela primeira vez tanta gente especial

Tanta coisa aconteceu desde então – tanta viagem, tanta gente especial, tanta mudança, tanta saudade, tanto amor – que é até difícil acreditar que faz só um ano. Com você, minha pequena, os dias continuam sendo deliciosos e intensos – imagine então um ano inteiro disso o que não é…?!

Você está crescendo a olhos vistos e todo mundo comenta o seu tamanho, sua esperteza e como cada vez mais você está deixando de ter cara e jeito de bebê e se tornando uma linda menina! Escuto isso de todo mundo e fico sempre pensando comigo: “nada disso! Oficialmente ela é um bebê até os 2 anos e ainda falta mais de meio ano pra isso! “

Mas ontem me caiu uma ficha (será que você entenderá essa expressão?rs) importante: faz muito tempo que eu não te chamo de “Bebéia”!

Você é minha eterna Pica-pau quando está com sono, minha Delícia quando me agarra num abraço, minha Chinchila quando me diverte, minha Terrivelzinha quando faz aquela cara de safada, a Cecília em tantos momentos do dia e Minha Menina quando ficamos juntinhas nos “chamegando”… mas acho mesmo que a Bebéia anda cada vez menos por aqui…

E, quer saber?! Por mais que eu sinta saudades daquela coisiquinha gostosa, você me faz cada dia mais feliz, assim mesmo, como você é: a cada dia menos Bebéia e mais Cecília!
  

Pra cuidar da saudade eu tenho um montão de fotos e vídeos que posso revisitar sempre! Pra me ensinar a viver o agora tenho a sua companhia, sempre tão atenta, demandante e deliciosa! Ainda bem!!!