“Educação Sentimental “

Há muito que quero ensinar à minha filha nessa vida e sei que a maioria das coisas importante se ensina não por discurso e/ou imposições, mas através de exemplos…

Sem dúvida foi assim que aprendi com meus pais a amar livros e músicas e é assim que venho “contaminando” a Cecília.

Do alto de seus nove meses a pequena tem um monte de livros (a maioria presente da vovó Nanci) e os adora, seja pra ler com a mamãe e o papai ou pra “introjetar” os conteúdos:

IMG_6695.JPG

IMG_6696.JPG

E música?!?
Ela ouve comigo e curte desde a barriga e reconhece algumas músicas preferidas (sorrindo ou se acalmando) desde muito pequeninha!!! Agora já aprendeu a dançar e muitas vezes capta uma música no ambiente e começa a balançar os bracinhos antes que eu tenha escutado qualquer coisa!

Hoje comecei a dar uma nova lição. Lição que minha mãe começou a me passar muito cedo, quando eu tinha meus poucos 1 ano e 10 meses. Lição que eu não esqueci nunca, que mora no meu coração desde que me conheço por gente!
Hoje levamos a Cecília pra assistir seu primeiro show!!!

Fomos eu e minha mãe com ela, pra relembrar os velhos tempos e recomeçar uma tradição. O show era da Banda Estralo, “Estórias de Cantar”, recheado de poesias, musicas de qualidade e muita gracinha pra criançada, muito gostoso!!!

Estávamos receosas que ela se assustasse, que fosse muito novinha pra aproveitar… Se acertamos ou não?!
Da uma olhadinha no vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=tE1CkOhxTJ4&list=UU7Yer89BLpCSKu-RtaWt0tg

Acho que estamos no caminho certo!!! =)

(ps.: alguém aí me ensina a colocar vídeos no wordpress??rs)

“Na tua presença” – 9 meses

9 meses, filha!!!

Semana que vem, na quarta-feira, você completa aqui do lado de fora o mesmo tempo que viveu dentro de mim: 39 semanas e 5 dias!

E de todas essas semanas de vida, sem dúvida, as últimas 4 foram as mais intensas que vivemos!
Sua carinha mudou de novo (tá voltando a ser a cópia do pai! rs). Seu cabelo foi cortado pela primeira vez. Mudamos de casa (e de país) e você sentiu. Mudamos de clima e você vem sentindo bastante..rs Sua alergia finalmente se estabilizou. Sua simpatia e sua curiosidade crescem a cada dia, junto com você, minha comprida!
E você aprendeu tanta coisa nova: Sentar, levantar, se jogar pra trás, engatinhar, fazer careta, fazer charme, comer com as mãos, fazer carinho, pedir…. uma lista tão grande e tão rica!!!

Ê delícia que é te ver descobrindo o mundo!!! O tempo todo em busca de algo interessante, sem parar!
Tão sem parar, aliás, que dá uma olhada como ficou nosso registro mensal :

IMG_6685.JPG

Hahahaha

É cansativo e não é fácil pra gente, filha! Mas dá pra notar no seu bico de concentração e na força desajeitada do seu corpo que também não é simples pra você.
Mas, sabe, é pra isso que nossa família está junta nesse mundo: pra transformar o chato em divertido, o difícil em estimulante e o complicado em delicioso!!!

Vamos juntos?!

IMG_6686.JPG

“Não espere por mim de dia”

Um negócio que me angustia é querer escrever e não conseguir… Outro é não conseguir manter esse blog ativo como eu gosto…

Tô devendo (pra mim) o post de despedida do Chile. E o post da chegada em São Paulo. E vários outros que estão “pendentes” (na minha cabeça..rs) faz tempo…
Tô perdendo um monte de posts de blogs amigos que adoro.. alguns até consigo ler sem parar pra comentar, outros nem vejo que saiu post.. 😦

Acontece que em meio ao turbilhão INTENSO de emoções e de bagunças que está sendo essa mudança há também um monte de compromissos que nos esperavam no Brasil e, principalmente, uma bebéia no auge dos seus quase 9 meses, em plena crise de “angústia de separação” mesclada com uma vontade imensa de ser independe e sair explorando o mundo por aí (contanto que eu esteja do lado, sem encostar muito, mas sem dar atenção pra mais nada, sabe como?! Dia e noite, dia e noite…sem parar!!!

Honestamente, não sei como outras mães (ou babás) fazem pra dar conta de tudo sozinhas! Admiro cada dia mais quem consegue! Eu, já está claro, não consigo!

Tenho recebido ajuda no resto, ainda bem, mas esse canto aqui é só meu… Parece que preciso me reinventar, descobrir uma nova forma (acho que outra HORA, na verdade) pra voltar pra cá…!
Preciso E VOU!!! (óia eu já escrevendo quando deveria estar dormindo…rs)
Prometo! pra mim e pra quem mais estiver com saudades nossas 😉

“Não aprendi a dizer adeus”

E não sei se algum dia vou aprender.
Cecília, por sua vez, aprendeu a dar tchau num timing mais que perfeito. Agora é só alguém se afastar dela que a mãozinha começa a balançar, sem ritmo, desajeitada e por uns 5 minutos seguidos – mas, infelizmente, depois que a pessoa já foi e/ou não tá mais olhando…rs

Agora há pouco colocamos nossas habilidades à prova e o resultado foi o esperado: Cecília ficou dando tchau pra porta fechada enquanto eu chorava (choro ainda) abraçada no Lucas!
Abraço e beijo de tchau, pra mim, deveriam durar pra sempre ou então não começar nunca! Essa sensação me acompanha desde quando viemos do Brasil pela primeira vez: eu não sei “desfazer” esses abraços… Nunca saberei e acho que nem quero aprender…

Amigos tão queridos, nossa família chilena, um pedaço enorme dos nossos corações fica aqui com vocês!!!
Ai, que difícil!!!

Linoca e Rapha:

FullSizeRender_1

Vocês são a definição matemática de: (bom humor + coração enorme) X 2 !!!
Que delícia poder ter dado tanta risada com vocês e que honra ter nossos corações povoados por pessoas TÃO do bem!!!

Cá, Fred e Davi(d):

FullSizeRender_2

Pegamos “carona” na amizade de vocês e descobrimos que, eita lugar bom pra exportar gente ótima que é BH, uai!!! Sorte a nossa!!!

Ana e Rubem:

FullSizeRender_3
Vim descobrir do lado de cá da Cordilheira que tinha um irmão carioca!!! E ao mesmo tempo que descobria um confidente parecido DEMAIS comigo, o vi amadurecer, se apaixonar e se entregar ao amor! Que privilégio!!! E o melhor de tudo: ele deu de presente pra Cecília uma tia expert na função de ser tia! Tanto cariño que nem cabe!!

Carol e Claudio:

FullSizeRender
A prova de que o destino existe! E o danado do destino não se contentou em colocá-los um no caminho do outro, me jogou ali no meio pra fazer parte dessa história de camarote! Que gostoso!!!
Não vou nunca encontrar palavras, Carol, pra expressar o que você foi pra mim nessa temporada aqui – até porque você já listou boa parte delas… Mas tenho palavras pro que você vai ser pra sempre: Minha melhor amiga! Meu achado! Meu presente!!

Cony, Marcos, Emi y Tomas:

IMG_6579
Tantos fines de semana, tantos juegos, tanta intimidad, tanta risa…siento que vivimos toda una vida juntos, los 10 (pongo Maní, Siru y Melcochis en la cuenta, claro!)… Gracias, muchas gracias por estos momentos memorables!

*

*

*

Queridos,
Ustedes todos son, sin duda, la familia que elegimos para que nos acompañara en la aventura que fue nuestro pasaje por Chile. Sin ustedes la experiencia no habría sido tan linda y tan especial!!!
Obrigada, obrigada e obrigada! Por tudo!!! Amamos vocês com toda força e vamos sentir saudades DEMAIS!!!
Um abraço bem apertado e um beijo babado (da Cecília! rs) em cada um!!!
Nos vemos pronto!!!

“Como se fuera esta noche la ultima vez”

Deixei um pessoal curioso com o último post, né?! rsrs
Então, x’eu contá…

Estamos de mudança! rs

Estamos indo morar em Madrid (!!!) mas, como disse um querido amigo nosso, antes faremos “escala” em São Paulo! =)
Na sexta feira agora voamos de mala e cuia (e mais um milhão de coisas, vocês não tem noção! rs) pra São Paulo, onde estaremos até janeiro pra, aí sim, fazer outra mudança – dessa vez pra Madrid!!!
Apesar de termos passado vários meses numa indefinição gigante sobre onde seria nosso futuro (rs), a coisa toda aconteceu SUPER rápido e vocês não fazem idéia do que é pensar, organizar, efetivar e digerir uma (ou duas!?) mudança desses porte em 3 semanas – especialmente com uma cachorra e uma bebéia de 8 meses (literalmente) a tira colo!!!
Resolvemos fazer a coisa em doses homeopáticas, então enquanto meu apartamento aqui se encontra de pernas pro ar, já temos coisas em Madrid e em São Paulo nos esperando! Loucura, loucura, loucura, manja?!

Tô super ansiosa e empolgada com a mudança, feliz pelos meses que aproveitaremos pertinho da família e dos amigos e sonhando com a vida nova do outro lado do Atlântico!!!
Maaasss, como deu pra notar no outro post, tô com o coração bem apertado e dividido…
Essa semana, especificamente, estou super nostálgica! Chorei ao dar tchau pro veterinário da Maní, me emocionei ao reunir tantos amigos na nossa despedida… E…bom…confesso, vai…me emocionei ao pendurar no varal as toalhas de banho que nunca mais vou usar (porque tem outro jogo em uso, não desisti de tomar banho por causa da loucura da mudança, ok?! hahaha), ao esfregar os panos de prato e perceber que eles ficarão branquinhos pra outra pessoa, ao andar pela última vez (nessa estadia) no metrô de Santiago, ao passar pela última vez naquele prédio lindo e esquecer de novo de tirar foto dele, ao sair com a Maní e me despedir de cada pedaço do nosso trajeto diário, enfim…tô emotiva, deu pra notar?? rsrs

Emotivamente na contagem regressiva e com um post enorme de despedida na cabeça, pedindo pra sair… dureza é parar pra escrever com calma, né?! pffff!

“Uma carta de amor” e despedida

Nossa relação começou lá atrás, logo no primeiro dia e foi arrebatadora de cara!
Amor à primeira vista, sabe?! Desses que faz o coração disparar, que tira a concentração à ponto de quase causar acidentes, que tira o fôlego com força após uma simples troca de olhar…

Perdi a conta de quantas vezes me encantei e me re-encantei! Quantas vezes me apaixonei de novo, como se fosse a primeira vez!

Afirmo com certeza que não perdemos nunca a magia daquele primeiro dia. O amor é sempre fresco, renovado e puro.

Você sempre esteve presente quando eu precisei, eu te admirei todos os dias e bradei meu amor aos quatro ventos, com orgulho. Foi lindo e delicioso enquanto durou.

Infelizmente nosso relacionamento agora terá que ser à distância, longa distância … Fico com o coração apertado quando penso nisso, já derrubei umas boas lágrimas nos nossos últimos encontros e ainda não consigo imaginar meu dia a dia sem essa fortaleza me aparando, sem sua grandiosidade me lembrando do que realmente importa nessa vida, sem que você traga mais cor ao meu final de dia…

Não será fácil, eu sei, vou morrer de saudades! Mas boas memórias e as lindas fotos que tiramos certamente servirão de sustentação para que esse amor perdure!

Eu prometo te visitar e você promete me retribuir, ok?!

E prometemos também namorar muito nessa última semana que nos resta!! O máximo que pudermos!!

IMG_6454.JPG

IMG_6455.JPG

IMG_6453.JPG

Te amo, Cordilheira!!! Mesmo!!!
Obrigada pela companhia incrível que você sempre fez aos meus olhos e ao meu coração nesses quase quatro anos de relacionamento !

ps.: começou a contagem regressiva, logo menos estamos indo embora do Chile! #guentacoração

A voz da dona e a dona da voz

Nossa, que saudades disso aqui!! Faz tanto tempo que parece que eu nem sei mais como blogar – depois vcs me contam se eu perdi ou não a capacidade (se é que algum dia já a tive!) hahahaha – cheguei com #dramamodeon, sentiram, né?! rs

As coisas aqui estão meio de cabeça para baixo, mas aos poucos, devagarinho, vou tentando – e querendo e precisando – voltar! Prometo!
Mas hoje venho com motivo específico: é que até o dia 04/10 tá rolando uma ação coletiva de divulgação e aprofundamento na discussão da Violência Obstétrica – e, claro, a “Louca dos Partos” aqui não poderia ficar de fora, né?!

Então… você já ouviu falar sobre Violência Obstétrica??
Pois é, a grande maioria das pessoas nunca ouviu! Mas, infelizmente, 25% das mulheres que tiveram filhos no Brasil viveram na pele essa atrocidade! 1 em cada 4 mulheres – isso é coisa pra caramba!!! E, o que pra mim é pior, algumas delas nem conseguem identificar exatamente o que lhes aconteceu…

Então, primeiro, o bê-a-bá:

Imagem: "Parto do Princípio"

Imagem: “Parto do Princípio”

A Violência Obstétrica pode ser sutil, pode ser “só” um comentário irônico, pode ser “só” uma empurradinha na barriga pra “ajudar” o bebê a sair (como a matrona tentou fazer no meu parto, aliás – HUMPF eterno pra ela!!), mas ela também pode ser brutal, escancarada, traumatizante….

E um dos grandes problemas  é que ela é TÃO praticada rotineiramente que muitas das ações que configuram (legalmente, inclusive) uma VO são consideradas “normais” por muita gente… Só que isso precisa mudar!!!

Não adianta nada eu vir aqui contar pra vocês todos os benefícios lindos e saudáveis de um parto normal quando, na verdade, um número assustador dos (poucos) partos normais que acontecem no Brasil são, na verdade, “anormais”, cheios de intervenções desnecessárias, cheios de agressões e com uma absoluta falta de respeito à parturiente e ao bebê!
Estudando durante a minha gravidez eu virei, sim, ativista do parto normal. Defendo, cheia de garra, o direito e a capacidade que toda mulher tem de parir. Mas, defendo, acima de tudo, o direito que toda mulher tem de ser respeitada no momento do seu parto – aliás, pré, parto e pós parto!!!

No documentário “Violência Obstétrica – A Voz das Brasileiras” você pode conhecer alguns relatos – aviso: não é nada “levinho”, ok?! Os depoimentos são doídos e são pesados, assim como a experiência dessas mulheres! Só que o melhor jeito de lidar com um tema desses é, justamente, não deixar calar! É dar voz a quem sofreu pra evitar que outras tenham que continuar passando por isso!
E é aí que entra a ação coletiva que falei lá em cima!!

Na semana passada a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou uma declaração oficial para a PREVENÇÃO E ELIMINAÇÃO DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA nas Instituições de Saúde de todo o mundo!! É o primeiro documento oficial e mundial sobre esse tema e sua existência, com tradução oficial para o português,  traz à luz a grande importância desse assunto na realidade obstétrica atual – no mundo e no Brasil!

viol_ncia_obst_trica_OMS

E aproveitando que o assunto está “fresco”, o blog “Cientista que Virou Mãe” fez um chamado: que nós coloquemos o assunto em pauta! Que falemos sobre ele! Que não o deixemos banalizar (mais)! Que busquemos, juntos, soluções possíveis!

Você pode fazer sua parte divulgando o documento da OMS, postando nas redes sociais com a hashtag #VOBR2014, participando de discussões, enfim…opções é que não faltam! O importante é, como nunca canso de repetir: nos munir de informação!!!

Pra ficar bem claro, repito os links importantes:

O documento oficial da OMS: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/134588/3/WHO_RHR_14.23_por.pdf

Pra saber mais sobre a ação coletiva: http://www.cientistaqueviroumae.com.br/2014/09/prevencao-e-eliminacao-da-violencia.html

Sobre Violência Obstétrica: http://partodoprincipio.blogspot.com.br e https://www.youtube.com/watch?v=eg0uvonF25M

Façamos nossa parte!! 1 em cada 4 é mulher demais sendo desrespeitada num momento tão importante!!! Não quero essa realidade pro meu próximo parto! Nem pro seu próximo parto! Nem pro parto da minha filha – se/quando um dia ele vier a acontecer…rs

Não quero!!! E você??