"Vamos lamber a língua"

Um dos piores pesadelos que tive na vida – se não o pior – foi quando sonhei que o Chico Buarque tinha morrido. Acordei chorando muito e com uma angústia tamanha que demorou a passar e que até hoje aperta meu peito quando penso no assunto.

Em 2007, no período em que ia a todos os “Baile do Baleiro”, ou seja, quase toda semana num show, eu sempre saía de lá com a alma lavada, com uma felicidade indescritível. Ia dormir leve e tinha sonhos super gostosos em que estava em uma roda de violão com toda a banda, super amiga do pessoal, batendo altos papos e cantando tudo que é música. Isso sempre resultava em manhãs deprimidas e depressivas, manhãs de voltar à realidade, lembrar que não sou amiga dessa turma e tão pouco sei cantar! rs

Li agora no blog Adorável Psicose o seguinte trecho:

“Lembro da professora de “Atualidades” falando sobre como o comércio era uma das provas de que não somos autosuficientes. Nós precisamos trocar para sobreviver.
E seguindo essa lógica, seria, de fato, impossível ser feliz sozinho. Tom Jobim devia concordar com a minha antiga professora de “Atualidades”. De repente eles até já se pegaram. Isso explicaria muita coisa do que ela dizia nas aulas.”

Fiquei pensando então na relação que desenvolvi com a música…

Eu costumo dizer que o Chico Buarque é o homem da minha vida e que o Zeca Baleiro é meu amante. (tenho, inclusive, sérias brigas com meu marido real sobre tietagemXciúmes)

É claro que essa brincadeira se refere puramente às composições de cada um deles. Admiro MUITO pessoas capazes de fazer músicas tão bonitas – até porque uma das maiores frustrações da vida é justamente a falta dessa capacidade em mim – mas o amor, antes de ser pela pessoa, é por aquilo que ela (me) diz com seu trabalho.

Mais do que a pessoa, o que apaixona e é capaz de tocar bem lá dentro (nas feridas más ou nas memórias boas, não importa), é essa magia que é a música em si.

Óbvio que a professora de “atualidades” não pegou o Tom Jobim, mas acho totalmente provável que as idéias que ela disseminava nas aulas como “verdades a serem racionalmente aprendidas pelos alunos” viessem da relação emotiva que ela própria tinha com as músicas e, consequentemente, com as idéias do Tom.

Acabei também de comentar com uma amiga: 
Não tenho absolutamente nada a ver com carnaval ou futebol, na verdade não gosto de nenhum dos dois; mas os anos de convivência com o Chico Buarque fazem com que seja impossível meu coração não ter uma quedinha pelo Fluminense e arrastar uma super asa para a Mangueira!

Porque no fundo é exatamente isso: eu posso nunca ter falado com o Chico na vida (apesar de ter tido a chance de agarrar o pé dele uma vez. rs), mas digo sem aspas nenhuma que tenho anos de convivência com o Chico Buarque.

E não me importa que na vida real ele seja chato ou arrogante, ou que o Baleiro use ou não drogas antes dos shows. 
Não importa que o Chico namore uma menina “boba” de 30 anos ou que o Baleiro seja casado com uma fotógrafa feia.
Não importa, porque não é através da vida real que me relaciono com eles. Não é com o eles de verdade e eu sei disso.
É com o papel que cada um assume em cima do palco ou com a idéia ou imagem ou sonoridade encantadora que eles cantam tão belamente.


Porque passa pelo racional, claro. É como disse uma vez: alguém que não entenda e/ou admire a língua portuguesa como eu, simplesmente não é capaz de entender totalmente minha paixão por Chico e Baleiro!

Mas também passa por….bom, como diz a Adriana Calcanhotto, de prato e garfo:




Pois é, acho que minha relação com a música se dá em algum outro plano. Em que sou só eu e a música de alguém.
É carnal, como o “de repente eles até já se pegaram”, mas é carnal no nível espiritual – se é que isso faz algum sentido…

Faz?



Anúncios

Um pensamento sobre “"Vamos lamber a língua"

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s