"obscuro-escuro-claro"

Sentir saudades é um privilégio doído.

Posso sentir uma vontade nostálgica de algumas coisas menores, mas saudade mesmo, só daquilo que amo ou amei.

Porque saudade é diferente de falta. (das coisas lindas da língua portuguesa!)

Saudade é necessidade, é desespero, é absurdo… É irracional.

É amiga do amor em sua forma mais pura, de maneira que nela não há espaço pros vestígios de problemas ou pros eventuais defeitos passados.

Saudade nasce num cantinho escondido e, como erva daninha, vai tomando todo o espaço.

É daninha porque faz doer.

Parece egoísta porque te faz querer sair correndo, largar tudo e resolver a tal dor.

Mas, no fundo, é o mais altruísta dos sentimentos: quanto mais a saudade dói, mais te provoca pra que você a mate!

Porque o que a saudade quer de verdade é deixar de existir… é poder voltar quietinha pro seu canto escuro, desafogar aquele coração e deixar que o calor do amor, só ele, seque a inundação e refloresça de belezas o terreno baldio que outrora era dela.


A saudade insiste em doer a distância pra que você não esqueça nunca da vontade de voltar. Pra que a ida seja sempre possível. E pra que a volta seja sempre, e cada vez mais, doce!

Anúncios

"Sempre em equilíbrio-brio"

Ontem eu e a Carol tivemos um dia de “boa ação voluntária” com alguns animais carentes chilenos!

Abre parêntesis: 
Veja bem, fiz questão de colocar aquele ‘alguns‘ lá em cima porque só quem já esteve em Santiago consegue ter uma (ainda pequena) noção do tamanho problema e do absurdo número de animais callejeros nessa cidade!
Fecha parêntesis

Nós duas, gateiras de alma, cara e carteirinha e cachorreiras de coração, encontramos duas “ongs” que resgatam animais e que toparam nossa ajuda! Aí tiramos a tarde de ontem pra começar os trabalhos!rs

Primeiros fomos até uma clínica veterinária onde moram, temporariamente, 5 cachorros resgatados das ruas, onde estão sendo cuidados, já foram castrados e esperam pacientemente um lar!

Eles são dessa ONG aqui: Garras y Patas

A tarefa era simples: levar os carentinhos pra passear!
Mas chegando lá descobrimos que eles eram, na verdade, carentões! Tanto pelo desespero de sair logo pro passeio, quanto pelo tamanho dos mocinhos!

Vejam bem: minha referência cachorrídica de vida se resume a um poodle que quase foi meu aos 6 anos, um cocker que era meu à distância quando eu tinha 10 e a queridadoceamada Maní,  que na verdade é um mini-cão-com-complexo-de-gato! Nessas circunstâncias, qualquer cachorro com mais de 6 quilos seria um ser de extrema força pra minha inabilidosa coleira! rs

Pois bem, achamos que seria mais esperto ir por partes, então, primeiro, a cada uma foi designado um cão:

A Carol ficou com a Holly:



 E eu fiquei com o Tibério: (aliás, acabo de descobrir que chamamos eles por nomes aleatórios e/ou errados durante todo o processo! hahahaha).





No primeiro segundo com a coleira do Tibério em minhas mãos já soube: pontecial de cagada= 98%!
Não deu outra! Fomos pra porta e, ali mesmo, às vistas de todo mundo da clínica e de todo mundo da rua, a cagada: Holly e Tibério super se empolgaram, começaram a querer correr e nos arrastar desesperadamente e desordenadamente, se enrolaram nas coleiras deles mesmos, enrolaram o rolo deles em mim e…





Sim…capotei! E capotei bonito! 
Ainda, pra ajudar, derrubei o pobre do Tibério junto, tadinho….  fomos os dois parar embaixo de uma vã que estava estacionada ali na porta! (na hora do tombo ele deu uma ganida que até agora me mata de culpa!!)

Mas o voluntariado estava só começando, então, sácomé, levanta (com ajuda), sacode a poeira (do joelho), dá a volta por cima (do nó de coleiras no qual eu ainda estava enrolada), e vamos!

No começo do passeio foi uma loucura!
O joelho ainda não doía, mas os cães pareciam que não viam rua há muito tempo (o que Maní já me ensinou que é como todo cão deve se comportar quando pisa no asfalto!rs) e puxavam e arrastavam as pobres inexperientes calçada afora! 
Verdade seja dita: o tombo inicial serviu pra gente aprender a manter uma distância mínima entre cães durante o passeio e evitar outros acidentes assim no caminho!
Tibério até que foi se acalmando e passeou mais da metade do tempo como um cão (quase) educado! Já a Holly fez questão de ser uma lady e levar a Carol pra passear, conhecer a região e explorar novos cheiros! hahahaha



Foi bem difícil tirar fotos desses dois passeando! rs


Terminado o passeio dos espuletas, fomos buscar mais dois pra rodada seguinte. E eles eram:

Marilyn Manson:


E o Rodolfo:



Mariliyn era bem menor e tranquilo, e apesar de não andar muito em linha reta (??? rs), passeou bem na boa!
Mas o Rodolfo…ah! o Rodolfo…! Tudo que tinha de simpático e macio, tinha de enorme, forte e maluco! 
Andava num zig-zag louco, queria entrar em todas as casas, gania pra todos os outros cachorros do caminho, queria perseguir pombas (imaginem o estrago!!) e puxava a coleira com uma força e uma dedicação que só vendo…!
A Carol começou o passeio dele, mas achei de bom tom revezar com ela! hahaha

Passear com o Rodolfo foi tanta emoção que esquecemos de tirar fotos deles no percurso… =/

Na volta à clínica descobrimos que ainda tinha mais um esperando passeio…e esse era todo especial:


(Tá ruim a qualidade dessa foto, entrem no link dele pra ver outras lindas!)



Loki é um cocker (“legítimo”, diga-se de passagem) foférrimo que quando ficou paraplégico foi abandonado pela dona…
Ele tem seu carrinho e anda com uma desenvoltura incrível! Não vê obstáculos e nem percebe a musculação de “membros superiores” que tá fazendo!rs Passeou com a gente feliz da vida!!! Oh só:



Não preciso nem dizer que foi o mais fácil, né?! hahaha

E assim terminamos a primeira parte da nossa boa ação! =)

Depois fomos pra etapa gateira do dia, mas essa história eu conto amanhã porque ela é longa, eu tô com sono e esse post já tá muito grande…rs

(e ela também – e especialmente – mexe mais com meu coração… já me tirou o sono na noite passada e não quero cutucá-la a essa hora da noite pra ver se consigo dormir bem hoje!)

Então…tchau!rs

ps.: as fotos com as carinhas dos cães foram tiradas do site da ONG: www.garrasypatas.cl

"E mais dia, menos dia…"

Hoje não foi aniversário de nada, nem dia de santo nenhum, mas pra mim foi um dia de pequenas vitórias!

Sábado, dia 16/02/2013.

 Hoje eu dirigi 3 SUV enormes (pro meu conceito de carro…hahaha) e conclui que é bem menos assustador do que eu imaginava que seria!
Explico: estamos querendo trocar nosso carro – nosso querido e amado Fit tá completando dois aninhos e tá na hora de dizer tchau – e o Lucas cismou que quer um SUV. Não sei porque…só porque ele mede 5 metros e fica apertado em carrostamanhosnormais… hahaha. 
Eu venho sendo contra essa idéia por dois motivos: 
1- Acho meio desperdício de dinheiro comprar carro grande.
2- Morro de medo de dirigir “caminhões” e tenho mais medo ainda de perder toda minha super evolução motorística dos últimos meses, travar de medo e voltar a ser pedestre e tempo integral.

Bom, hoje fomos ver (mais uma vez) os modelos de carros e fazer test drive neles… E não é que eu descobri que dirigir SUV não é nenhum bicho de sete cabeças?!?!? Fiquei feliz e satisfeita com a descoberta! É verdade que minha falta de noção de espaços e tamanhos dificulta a tarefa, mas descobri que é confortável e possível de se acostumar! Gostei!!!
Quanto ao motivo 1, chegamos à conclusão de que tenho alma de pão-dura e vou morrer pobre de espírito! hahahhaha

Vitória número dois:
Provei um pedaço de beringela assada com tomate seco e queijo e achei gostoso!
Sério, minha evolução anti-frescorística tá me matando de orgulho!!! Essa semana fiz lasanha de espinafre, comi tomate cereja cru e hoje teve essa… beringela e tomate seco na mesma garfada e eu disse: “hmmm..gostoso!”!!! (é verdade que em seguida eu disse: “tem gosto de alguma coisa…sangue, acho…”, mas abafa essa parte! hahahahahhahahaha)

E, por último, mas não menos importante:
Hoje, pela primeira vez na vida, corri 5 quilômetros!!!!
Nem em junho do ano passado, quando estava correndo com frequência por quase três meses (antes de machucar o pé…) eu chegava a isso… Estava seguindo um programa pra começar a correr e no final sempre corria os 30 minutos do programa, o que dava de 4 a quase 5 k, mas nunca os 5 k inteiros…
Há duas semanas, no dia 03/02, voltei a correr pra valer, dia sim, dia não, me esforçando, colocando metas, suando muito…e hoje, al fin, corri meus primeiros 5 k! E numa velocidade média bacana até – especialmente em comparação com as minhas outras velocidades! Tô bastante orgulhosa de mim! E motivada pra 
continuar!



Os planos agora são melhorar a velocidade, pra só depois aumentar a quilometragem de novo.. quero, em abril, correr 10K na maratona de Santiago! Vamos que se puede!!!

Aliás, “vamos que se puede” é a frase do dia!
Dia de pequenas vitórias que mereceu até um trago comemorativo no final, com a companhia de bons amigos e uma pizza deliciosa! (abafa-2: estou levemente alcoolizada, depois de um daiquiri de frutilla…hehehe)
Só faltou o maridovelho, que não quis sair de casa… 


Moral da história: com pequenas vitórias a gente chega lá!!!
Daqui a pouco estarei dirigindo ônibus de viagens, comendo banquetes saladísticos completos e correndo maratonas inteiras!!! 
Porque sonhar é o primeiro passo, e ir devagar é começar a ir – sempre bom lembrar!!!




ps.: tenho pedido aos amigos no facebook pra deixar os comentários aqui no blog e não lá no fb…
Explico-2: estou em um processo de tentar reviver esse-amigo-blog… comentários aqui ficam guardados no devido post, deixam o blog mais atrativo e são mais fáceis de serem entendidos e acessados – tudo essencial pra recuperação verdadeira do xuxu aqui…
Soube que algumas pessoas tem tido dificuldades de comentar pelo blogger…peço, por favor, que me expliquem quais são as dificuldades… pensei em fazer um post explicativo pra ajudar e ver se resolve o problema…rs. E aproveito o ps pra agradecer os acessos e comentários, assim como as presenças constantes e as “voltantes” nessa nova fase do blog!

Beijos a todos!

"Sem vergonha e sem juízo"

Não sei se é preconceito velho, romantismo exagerado ou territorialismo bobo, mas esse ano estou muito mais sensibilizada com a data de 14 de fevereiro do que sempre estive com o 12 de junho…

 Não, meus caros, dia 14 de fevereiro não é só “o dia dos namorados no Estados Unidos”…
Aqui, por exemplo, hoje é día de San Valentín, é día de los Enamorados, día de la Amistad y del Amor!

Pode ser que seja só uma estratégia comercial mais inteligente, mas eu simpatizo bem mais com esse dia mais “abrangedor”.

Diferente do dia dos namorados no Brasil, hoje não é dia de os solteiros cortarem os pulsos (ou encherem a cara fingindo que não estão nem aí..rs) porque estão sozinhos. Hoje é dia de celebrar o amor em todas as suas formas!
Na minha timeline do facebook, por exemplo, já vi declarações de amor pra marido, namorado, amiga, gato, cachorro, porco (rs)…e apareceu até uma ilustração fofinha de duas poltronas namorando (?!) hahahaha





Hoje é dia de dizer pros amigos o quanto eles são amados, dia de apertar os peludos da casa e dar um beijo mais especial (mesmo que o peludo seja seu pai ou marido! hahaha), dia de comprar flores, comer muito chocolate e mandar cartões fofos pra quem quiser!

Ano passado meu Día de San Valentín foi estragado por um babaca que resolveu roubar meu celular. Humpf!
Esse ano nada parecido vai acontecer! 

Por isso tô aqui, pra desejar pros meus amados amigos um lindo día de la amistad!
E, não contem pro Lucas, tô também preparando uma noite gostosa e romantiquinha!

Aproveitem aí o dia pra adoçar a vida um pouquinho! Todos nós merecemos um dia desses! =)



Besotes!




"Mais de dez mil anos se passaram-se"

Dois dias: “Começando”

Seis meses: “Pra mim meia dúzia é seis, hein?!”

Doze meses: “Ponha a roupa de domingo”

Dezoito meses: “Brasil, recruta o teu pessoal”

E foi assim, em uma piscada de olhos, em um ou outro passo, em 4 postagens no blog… PUFF! Dois anos se passaram! 2 ANOS INTEIRINHOS!!!
É difícil colocar mais palavras do que essas aí de cima…

No dia 12/02/2011 éramos estes aí:



Dois anos depois, 12/02/2013, e ainda somos estes daí….tão iguais e tão mudados…

Mudei porque aprendi a conviver diariamente com a saudade, aprendi que o amor e a distância não são tão incompatíveis como se costuma dizer, aprendi que morrer de vontade não mata, aprendi que apoio e abraços virtuais também dão conta, mas também aprendi a força de um abraço de verdade.
Aprendi que meu marido é meu lar, aprendi que (meu) cachorro é um ser absolutamente amável, aprendi que a maternidade (mesmo a canina) é de um amor sem tamanho. 
Aprendi que não só a neve tem a capacidade macia de absorver as quedas e ao mesmo tempo gelar até a alma.
Aprendi que minha casa tem minha cara, o cheiro da Maní e o conforto do Lucas.
Aprendi que família se escreve com quantas letras você bem entender. 
Que chuva é bem melhor quando é rara. E que calor é menos pior quando é seco. 
Aprendi que o cérebro faz misturas malucas de idiomas. E que algumas coisas a gente só pode dizer mesmo na nossa língua materna.
Aprendi o significado de pátria e o significado de “hogar”.
Aprendi que clichê não é coisa de linguística, mas de coração.

Foram dois anos “fora de casa”, dois anos no “nosso lugar”.

E que venham agora todos os outros anos que temos pela frente… sejam no Chile, na Croácia, em Ohio-que-o-parta…tanto faz! Porque aprendi que o lugar faz muita diferença, mas que, na verdade, as experiências dependem de como nós as vivemos, como as encaramos e o que levamos delas – pra qualquer lado do mundo…!!!

"Aqui (não) tem terremoto"

Chile: o país em que não existem mulheres com o cabelo oleoso, a unha quebradiça ou o fluxo menstrual suave.


Confesso: tem algumas coisas que faço questão de trazer do Brasil, tipo meu dorflex ou meu eno laranja (hipocondríaca é a mãe!rs), mas existem alguns itens que são (ou deveriam ser) muito básicos e que não encontro aqui de jeito nenhum!

Nunca estudei essa coisa de “mercado”, como o que faria determinados produtos serem aceitos em alguns lugares e em outros não, mas essa questão tem me instigado…

Algum gênio teve a brilhante idéia de, no começo desse ano, trazer (uns restos de) Panetone e Chocotone pra cá – a Bauduco já existe fraquinha então, de novo, era só uma questão de entrada de produtos específicos… Não sei o que os chilenos acharam da novidade e até gostaria de saber, mas o importante dessa história foi que eu me esbaldei!!! hahaha

E enquanto outro gênio chileno não descobrir que miojo cremoso é a melhor comida instantânea do mundo (se não a melhor comidaponto! hahaha), continuo contando com a querida Carol e seus Santos Pais que, pelo segundo ano consecutivo, me abastecem de temperinhos de Cremoso de Pizza!!!
(em 2011 esse prêmio foi pra Karencita!)

E sempre sobra pros nossos visitantes trazer uma encomendazinha na mala, tipo yakult, shampoo, esmalte, paçoca, ovomaltine….. ! =)
Mas juro que não é por isso que tô sempre convidando todo mundo! hahahaha

Aliás, já já acaba o carnaval e chega a hora de programar o 2013… você, leitor querido, já decidiu quando vem nos visitar???




Eso es…

Boa semana pra todos!