"Sempre em equilíbrio-brio"

Ontem eu e a Carol tivemos um dia de “boa ação voluntária” com alguns animais carentes chilenos!

Abre parêntesis: 
Veja bem, fiz questão de colocar aquele ‘alguns‘ lá em cima porque só quem já esteve em Santiago consegue ter uma (ainda pequena) noção do tamanho problema e do absurdo número de animais callejeros nessa cidade!
Fecha parêntesis

Nós duas, gateiras de alma, cara e carteirinha e cachorreiras de coração, encontramos duas “ongs” que resgatam animais e que toparam nossa ajuda! Aí tiramos a tarde de ontem pra começar os trabalhos!rs

Primeiros fomos até uma clínica veterinária onde moram, temporariamente, 5 cachorros resgatados das ruas, onde estão sendo cuidados, já foram castrados e esperam pacientemente um lar!

Eles são dessa ONG aqui: Garras y Patas

A tarefa era simples: levar os carentinhos pra passear!
Mas chegando lá descobrimos que eles eram, na verdade, carentões! Tanto pelo desespero de sair logo pro passeio, quanto pelo tamanho dos mocinhos!

Vejam bem: minha referência cachorrídica de vida se resume a um poodle que quase foi meu aos 6 anos, um cocker que era meu à distância quando eu tinha 10 e a queridadoceamada Maní,  que na verdade é um mini-cão-com-complexo-de-gato! Nessas circunstâncias, qualquer cachorro com mais de 6 quilos seria um ser de extrema força pra minha inabilidosa coleira! rs

Pois bem, achamos que seria mais esperto ir por partes, então, primeiro, a cada uma foi designado um cão:

A Carol ficou com a Holly:



 E eu fiquei com o Tibério: (aliás, acabo de descobrir que chamamos eles por nomes aleatórios e/ou errados durante todo o processo! hahahaha).





No primeiro segundo com a coleira do Tibério em minhas mãos já soube: pontecial de cagada= 98%!
Não deu outra! Fomos pra porta e, ali mesmo, às vistas de todo mundo da clínica e de todo mundo da rua, a cagada: Holly e Tibério super se empolgaram, começaram a querer correr e nos arrastar desesperadamente e desordenadamente, se enrolaram nas coleiras deles mesmos, enrolaram o rolo deles em mim e…





Sim…capotei! E capotei bonito! 
Ainda, pra ajudar, derrubei o pobre do Tibério junto, tadinho….  fomos os dois parar embaixo de uma vã que estava estacionada ali na porta! (na hora do tombo ele deu uma ganida que até agora me mata de culpa!!)

Mas o voluntariado estava só começando, então, sácomé, levanta (com ajuda), sacode a poeira (do joelho), dá a volta por cima (do nó de coleiras no qual eu ainda estava enrolada), e vamos!

No começo do passeio foi uma loucura!
O joelho ainda não doía, mas os cães pareciam que não viam rua há muito tempo (o que Maní já me ensinou que é como todo cão deve se comportar quando pisa no asfalto!rs) e puxavam e arrastavam as pobres inexperientes calçada afora! 
Verdade seja dita: o tombo inicial serviu pra gente aprender a manter uma distância mínima entre cães durante o passeio e evitar outros acidentes assim no caminho!
Tibério até que foi se acalmando e passeou mais da metade do tempo como um cão (quase) educado! Já a Holly fez questão de ser uma lady e levar a Carol pra passear, conhecer a região e explorar novos cheiros! hahahaha



Foi bem difícil tirar fotos desses dois passeando! rs


Terminado o passeio dos espuletas, fomos buscar mais dois pra rodada seguinte. E eles eram:

Marilyn Manson:


E o Rodolfo:



Mariliyn era bem menor e tranquilo, e apesar de não andar muito em linha reta (??? rs), passeou bem na boa!
Mas o Rodolfo…ah! o Rodolfo…! Tudo que tinha de simpático e macio, tinha de enorme, forte e maluco! 
Andava num zig-zag louco, queria entrar em todas as casas, gania pra todos os outros cachorros do caminho, queria perseguir pombas (imaginem o estrago!!) e puxava a coleira com uma força e uma dedicação que só vendo…!
A Carol começou o passeio dele, mas achei de bom tom revezar com ela! hahaha

Passear com o Rodolfo foi tanta emoção que esquecemos de tirar fotos deles no percurso… =/

Na volta à clínica descobrimos que ainda tinha mais um esperando passeio…e esse era todo especial:


(Tá ruim a qualidade dessa foto, entrem no link dele pra ver outras lindas!)



Loki é um cocker (“legítimo”, diga-se de passagem) foférrimo que quando ficou paraplégico foi abandonado pela dona…
Ele tem seu carrinho e anda com uma desenvoltura incrível! Não vê obstáculos e nem percebe a musculação de “membros superiores” que tá fazendo!rs Passeou com a gente feliz da vida!!! Oh só:



Não preciso nem dizer que foi o mais fácil, né?! hahaha

E assim terminamos a primeira parte da nossa boa ação! =)

Depois fomos pra etapa gateira do dia, mas essa história eu conto amanhã porque ela é longa, eu tô com sono e esse post já tá muito grande…rs

(e ela também – e especialmente – mexe mais com meu coração… já me tirou o sono na noite passada e não quero cutucá-la a essa hora da noite pra ver se consigo dormir bem hoje!)

Então…tchau!rs

ps.: as fotos com as carinhas dos cães foram tiradas do site da ONG: www.garrasypatas.cl

Anúncios

3 pensamentos sobre “"Sempre em equilíbrio-brio"

  1. Gabi, li seu post sobre esses cães lindos!!!!

    Também sou dessas que ama os animais e, pelas minhas contas, já resgatei uns 10, e destes, 5 me trazem alegrias e lambidas todos os dias (são 5 cães).
    Fico feliz em saber que existem pessoas como nós que lutamos por esses peludos!

    Parabens pelo voluntariado e pelo texto!

    Bjos

    Gabi Gomes Toloi

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s