“Não aprendi a dizer adeus”

E não sei se algum dia vou aprender.
Cecília, por sua vez, aprendeu a dar tchau num timing mais que perfeito. Agora é só alguém se afastar dela que a mãozinha começa a balançar, sem ritmo, desajeitada e por uns 5 minutos seguidos – mas, infelizmente, depois que a pessoa já foi e/ou não tá mais olhando…rs

Agora há pouco colocamos nossas habilidades à prova e o resultado foi o esperado: Cecília ficou dando tchau pra porta fechada enquanto eu chorava (choro ainda) abraçada no Lucas!
Abraço e beijo de tchau, pra mim, deveriam durar pra sempre ou então não começar nunca! Essa sensação me acompanha desde quando viemos do Brasil pela primeira vez: eu não sei “desfazer” esses abraços… Nunca saberei e acho que nem quero aprender…

Amigos tão queridos, nossa família chilena, um pedaço enorme dos nossos corações fica aqui com vocês!!!
Ai, que difícil!!!

Linoca e Rapha:

FullSizeRender_1

Vocês são a definição matemática de: (bom humor + coração enorme) X 2 !!!
Que delícia poder ter dado tanta risada com vocês e que honra ter nossos corações povoados por pessoas TÃO do bem!!!

Cá, Fred e Davi(d):

FullSizeRender_2

Pegamos “carona” na amizade de vocês e descobrimos que, eita lugar bom pra exportar gente ótima que é BH, uai!!! Sorte a nossa!!!

Ana e Rubem:

FullSizeRender_3
Vim descobrir do lado de cá da Cordilheira que tinha um irmão carioca!!! E ao mesmo tempo que descobria um confidente parecido DEMAIS comigo, o vi amadurecer, se apaixonar e se entregar ao amor! Que privilégio!!! E o melhor de tudo: ele deu de presente pra Cecília uma tia expert na função de ser tia! Tanto cariño que nem cabe!!

Carol e Claudio:

FullSizeRender
A prova de que o destino existe! E o danado do destino não se contentou em colocá-los um no caminho do outro, me jogou ali no meio pra fazer parte dessa história de camarote! Que gostoso!!!
Não vou nunca encontrar palavras, Carol, pra expressar o que você foi pra mim nessa temporada aqui – até porque você já listou boa parte delas… Mas tenho palavras pro que você vai ser pra sempre: Minha melhor amiga! Meu achado! Meu presente!!

Cony, Marcos, Emi y Tomas:

IMG_6579
Tantos fines de semana, tantos juegos, tanta intimidad, tanta risa…siento que vivimos toda una vida juntos, los 10 (pongo Maní, Siru y Melcochis en la cuenta, claro!)… Gracias, muchas gracias por estos momentos memorables!

*

*

*

Queridos,
Ustedes todos son, sin duda, la familia que elegimos para que nos acompañara en la aventura que fue nuestro pasaje por Chile. Sin ustedes la experiencia no habría sido tan linda y tan especial!!!
Obrigada, obrigada e obrigada! Por tudo!!! Amamos vocês com toda força e vamos sentir saudades DEMAIS!!!
Um abraço bem apertado e um beijo babado (da Cecília! rs) em cada um!!!
Nos vemos pronto!!!

Anúncios

“Como se fuera esta noche la ultima vez”

Deixei um pessoal curioso com o último post, né?! rsrs
Então, x’eu contá…

Estamos de mudança! rs

Estamos indo morar em Madrid (!!!) mas, como disse um querido amigo nosso, antes faremos “escala” em São Paulo! =)
Na sexta feira agora voamos de mala e cuia (e mais um milhão de coisas, vocês não tem noção! rs) pra São Paulo, onde estaremos até janeiro pra, aí sim, fazer outra mudança – dessa vez pra Madrid!!!
Apesar de termos passado vários meses numa indefinição gigante sobre onde seria nosso futuro (rs), a coisa toda aconteceu SUPER rápido e vocês não fazem idéia do que é pensar, organizar, efetivar e digerir uma (ou duas!?) mudança desses porte em 3 semanas – especialmente com uma cachorra e uma bebéia de 8 meses (literalmente) a tira colo!!!
Resolvemos fazer a coisa em doses homeopáticas, então enquanto meu apartamento aqui se encontra de pernas pro ar, já temos coisas em Madrid e em São Paulo nos esperando! Loucura, loucura, loucura, manja?!

Tô super ansiosa e empolgada com a mudança, feliz pelos meses que aproveitaremos pertinho da família e dos amigos e sonhando com a vida nova do outro lado do Atlântico!!!
Maaasss, como deu pra notar no outro post, tô com o coração bem apertado e dividido…
Essa semana, especificamente, estou super nostálgica! Chorei ao dar tchau pro veterinário da Maní, me emocionei ao reunir tantos amigos na nossa despedida… E…bom…confesso, vai…me emocionei ao pendurar no varal as toalhas de banho que nunca mais vou usar (porque tem outro jogo em uso, não desisti de tomar banho por causa da loucura da mudança, ok?! hahaha), ao esfregar os panos de prato e perceber que eles ficarão branquinhos pra outra pessoa, ao andar pela última vez (nessa estadia) no metrô de Santiago, ao passar pela última vez naquele prédio lindo e esquecer de novo de tirar foto dele, ao sair com a Maní e me despedir de cada pedaço do nosso trajeto diário, enfim…tô emotiva, deu pra notar?? rsrs

Emotivamente na contagem regressiva e com um post enorme de despedida na cabeça, pedindo pra sair… dureza é parar pra escrever com calma, né?! pffff!

“Mais do Mesmo”

Daí que nessa ida pro Brasil um assunto recorrente nas minhas conversas foi Parto (menos recorrente do que a Louca do Parto aqui gostaria! hahaha) e me deu vontade de voltar a falar desse tema! hohoho
Então vou fazer um post como já vi em alguns blogs por aí: vou postar meu plano de parto, revendo e avaliando expectativa x realidade! Simbora?!

(preguiça de traduzir tudo, galera…vai em espanhol mesmo e vou explicando o que achar que preciso, ok?! rs)

Plan de Parto Gabi y Lucas

 

Estimado/a matrona y obstetra:

Vamos a tener nuestra hija y deseamos que su nacimiento sea lo más humano, respetado y natural posible, por eso solicitamos su comprensión.

 

Nos gustaría favorecer el inicio espontáneo del trabajo de parto y los ritmos de mi organismo ( favorecer un parto normal vaginal), tal y como se recoge en las recomendaciones de la O.M.S. y que concretamos en los siguientes puntos:

 

  • Solicitamos evitar los tactos vaginales (exames de toque) innecesarios (incluso a fines de la gestación), a menos que sea evidente el inicio de trabajo de parto – Feito! Meu obstetra não fez NENHUM toque durante toda a gravidez/parto e a matrona só fez um, quando chegamos na maternidade!

  • Deseamos estar en la casa mientras el trabajo de parto este comenzando, con tranquilidad y intimidad para que la evolución sea lo más natural – Feito!!!

  • Deseamos que el preparto y el parto sean en una de las Salas de Parto Integral, donde la atmósfera sea lo más serena posible, y se propicie un ambiente respetuoso con la vonlutad y los ritmos de la madre. Nos gustaría luz tenue, música tranquila, preparto calentito… – Levamos o tocador de música mas não pensei em ligar lá; a matrona se encarregou de ajustar luz e temperatura, mas vendo as fotos penso que se estivesse mais escurinho seria ainda melhor!

  • Deseamos estar juntos todo el tiempo y además contar con la presencia de una doula. Estos acompañantes serán un importante apoyo activo a la madre – Feito! Ficamos o tempo todo juntos e quando eles pensaram que precisariam sair a matrona não deixou, lindo!!

  • Solicitamos que se abstengan de administrar métodos y tecnologías hospitalarias que alteren dichos ritmos naturales, a no ser que estén totalmente justificados y cuenten con nuestro consentimiento – Fizeram os procedimentos que já tinham nos avisado que aconteceriam: mediram pressão e temperatura e colocaram o saco do acesso venoso..

  • Solicitamos que la madre pueda elegir comer y beber alimentos livianos cuando tenga ganas, no siendo necesario la vía venosa para hidratación de la misma – Apesar do acesso venoso colocado, não me colocaram soro nem nenhuma outra coisa. Não quis comer nada (desde umas 13h) e acho que nem teria dado tempo na maternidade (rs), mas tomei muita água o tempo todo, a Silvia tava sempre com a garrafinha lá! (água, aliás, que levamos de casa, porque eu não gosto da maioria das marcas de água daqui…rs)

  • Solicitamos que no se rasure, ni se administren lavados intestinales (enema) – Feito! Ou melhor, não feito! rs

  • Solicitamos evitar uso de oxitocina artificial para acelerar el trabajo de parto, solo si fuera estrictamente necesario y que nos informen – Não foi necessário.

  • Solicitamos evitar el uso de anestesia/analgesia, a excepción que nosotros lo solicitemos. Pedimos que no estén permanentemente ofreciendo anestesia, menos aun durante la contracción. Si hemos pedido retrasar o evitar la analgesia apoyen de corazón, creyendo en la mujer. Estamos preparados para el dolor, sabemos que la analgesia natural de endorfinas funcionan – E funcionaram! A única vez que se falou em anestesia foi quando chegamos à Clínica, quando a matrona confirmou que eu não ia querer tomar!

  • Deseamos ocupar otros métodos de manejo de dolor (como masajes, respiración guiada, agua caliente…) Si la analgesia se hace necesaria, pedimos que sea en una cantidad muy baja, solo para el alivio del dolor, pero que la madre pueda caminar, sentir las contracciones y los pujos, etc.. – Estava livre pra usar os outros métodos, por tanto o tema da quantidade de anestesia nem veio ao caso!

  • Solicitamos evitar el monitoreo fetal continuo. Sabemos que el monitoreo fetal intermitente es necesario – Escutamos o coração da Cecília algumas poucas vezes, sempre sem que eu nem precisasse sair da posição que eu tinha escolhido estar!

  • Solicitamos evitar la episiotomia. Pedimos hacerla solo cuando haya un riesgo evidente de desgarro amplio y profundo – meu GO chegou a achar que seria necessário, mas, ufa!, conseguimos evitar!

  • Solicitamos que se respete la libertad de movimiento de la madre y su capacidad para escoger la postura más conveniente para manejar los dolores de las contracciones y para el parto mismo. Pedimos que se eviten las posiciones horizontales y que la madre pueda escoger posiciones más verticales (como de rodillas, semisentada o de cuclillas) – senti falta de uma banqueta de parto, pra poder estar de cócoras (cuclillas) sem cansar tanto as pernas (e o Lucas! hahaha) e, infelizmente, tive que subir na cama pra mudar o ângulo e a Cecília conseguir sair, sem ter osso no caminho atrapalhando..rs

  • Deseamos que la mamá reciba un apoyo reconfortante, que la acuerden de respirar y cambiar de posición, refuercen la confianza en su capacidad de parir, que no le dirijan los pujos y le acuerden la importancia de la suavidad al momento de la salida del bebé – faltou essa lembrança da suavidade no final… pelo que me lembro fiz força durante toda a saída da cabeça e talvez por isso tenha lacerado mais…

  • Solicitamos que no se haga la manobra de Kristeller, por riesgo de rotura de útero y por estar contraindicada por la O.M.S. – hmmmm! Acho a tentativa da matrona de empurrar minha barriga se classificaria como Kristeller, não sei… mas me deixou puta, anyway…

  • Solicitamos que tras el nacimiento del bebe se postergue el pinzamiento del cordón umbilical en al menos 2 a 3 minutos, idealmente que deje de latir. Deseamos también que el padre pueda hacer el corte del cordón – não sei se já tinha parado de pulsar, mas sei que esperaram alguns minutos.. O Lucas não tinha certeza se ia querer cortar o cordão, mas deixei no plano pra garantir, ‘por si acaso’.. e já tava combinado que se ele não quisesse, eu cortaria! Quem sabe no próximo me certifico que tenha parado de pulsar e não corto eu mesma! =)

  • Solicitamos que nos ayuden favoreciendo una transición suave a la respiración pulmonar de nuestra hija (evitar las aspiraciones de vías) y que ella pueda ser abrazada y amamantada inmediatamente post parto – Lindamente feito! =)

  • Solicitamos respetar nuestra intimidad post parto y favorecer el contacto piel con piel entre 60 a 120 minutos, reconociendo los beneficios fisiológicos tanto para la madre como su hija, facilitando también el alumbramiento. Si esto no fuera posible en la sala de parto, permitir hacer contacto piel con piel en la habitación – feito! Ficamos 100 minutos (!) no contato pele a pele e sozinhos na sala (depois que a equipe deu uma limpadinha na bagunça..) antes que voltasse o pediatra e nos pedisse autorização pra examinar e vestir a bebê; depois mais alguns minutos antes de descer pro quarto..

  • Solicitamos que el alumbramiento (salida de la placenta) sea lo más natural posible, es decir, esperar que se desprenda, sin traccionar – Feito.

  • Solicitamos evitar colirios en los ojos del bebé – Feito!

  • Solicitamos evitar/postegar la administración de Vitamina K en el muslo de nuestra hija (hasta que esté tranquila y/o mamando en el pecho) – aqui não existe a opção da Vitamina K oral, então tinha que ser injetável mesmo.. ela voltou pro meu colo no meio do exame do pediatra e tomou a vitamina ali, nem reagiu…

  • Solicitamos postergar el peso y las mediciones de recién nacido para poder favorecer el contacto piel con piel inmediato si el estado del bebé lo permite – Feito!

  • Solicitamos permanecer juntos todo el tiempo en la estadía en la maternidad – feito! Só levavam ela 1 vez por madrugada pra pesar (e tirar sangue na primeira madrugada), mas demorava uns 5 minutos só e o Lucas ia sempre junto (ficava olhando pela janelinha, porque não podia entrar no berçário, mas ia junto! rs). De resto estava no quarto grudada na gente o tempo inteiro!

  • Solicitamos estar presentes (y activos) cuando el bebé sea examinado, aseado, etc – si por alguna complicación la madre no pueda acompañar, que el padre siempre lo haga – Feito!

  • Solicitamos que nuestra hija no reciba nada sin nuestra autorización, es decir, sin leche artificial, chupete, té, agua, etc… – Feito!! Inclusive as vacinas ela só tomou no último dia, porque não autorizamos no primeiro!

En el caso que se haga necesaria una Cesárea: – não se aplica, mas meu médico já tinha sido honesto e me dito que não podia garantir tudo isso, por conta das regras do centro cirúrgico e disse que uma parte dependeria da equipe de plantão que nos atenderia… Ainda bem que não precisamos dessa parte!

 

  • Solicitamos que la anestesia sea regional para que la madre pueda estar despierta.

  • Solicitamos que el padre pueda acompañar la madre durante todo el procedimiento.

  • Deseamos la madre pueda recibir el bebé lo más pronto posible y que también se favorezca el contacto piel con piel en los primeros momentos de vida del bebé.

  • Deseamos que el ambiente sea cálido, respetuoso, con silencio, especialmente al momento de la salida del bebé.

  • Solicitamos que el padre pueda acompañar todos los procedimientos necesarios en el bebé luego del post parto.


Pedimos explicaciones claras sobre todos los procedimientos (con la madre y el bebé), sobre el progreso del trabajo de parto a medida que se evalúe y sobre cualquier complicación que se presente – Feito!

Estando seguros de contar con su apoyo, nosotros ponemos nuestra confianza en ustedes y agradecemos de todo corazón su comprensión. Esperamos que esta sea una experiencia muy gratificante y enriquecedora para todos.
Sabemos que nuestro plan de parto se orienta a que todo siga su curso normal y estamos abiertos a la posibilidad de que tengan que ocurrir ciertas modificaciones en el mismo día del trabajo de parto (para eso, solicitamos que siempre nos informen y consulten).

Con todo nuestro cariño, firman los padres

 

 

É um exercício gostoso fazer isso e percebo, satisfeita, que pouca coisa saiu diferente do planejado…

Se eu disser que tenho saudades do parto, vocês acreditam?!? rs 

 

 

 

 

Tem como não sentir saudades de tamanha felicidade???

Tem como não sentir saudades de tamanha felicidade???

"Eu lhe dou de graça"

É hermano…a aventura começou!
E não tem jeito, a hermana aqui é melhor com as palavras escritas do que faladas… por isso, aí estão as dicas que você pediu ontem:


Prepare-se pra muita dor de cabeça de cérebro cansado de ser tradutor (e de não entender um monte de coisas! rs)

Fique craque no inglês, aprenda pelo menos um pouco do holandês, mas não se esqueça de procurar algum “refúgio em português”, porque, acredite, em um ano dá pra esquecer bastante coisa…rs

Saiba que você vai ter que lidar com pais (e irmã..hehehe) muito carentes de atenção e demonstrações de afeto. Tenha paciência com eles e saiba que em vários momentos os papéis estarão invertidos e é você que vai, sim!, procurar por colo!

Por favor! Entre mais (participativo) no mundo das redes sociais pra gente poder ficar mais “pertinho” de você, mas sem deixar que isso te roube os preciosos minutos (quantos? já fez a conta?) da aventura holandesa!

Faça um monte de colegas, encontre alguns bons amigos e lembre-se sempre dos que ficaram longe…

Aliás, paciência também com os amigos de antes que depois de alguns meses de contato internético vão acabar sumindo…

Muitas vezes o skype e o facebook serão seu refúgio e seus melhores amigos! Eles resolvem quase todas as dificuldades da distância – menos as gastronômicas! rs

Prepare-se pra sentimentos contraditórios: você vai achar tudo o máximo na Holanda e horrível no Brasil… e no minuto seguinte vai estar sentindo saudades de qualquer coisa brasileira ridícula, como o cheiro do banheiro dos gatos (hahahaha) ou as viagens de ônibus pra Sanca ou de ouvir português na televisão…

Reclame do Brasil, reclame da Holanda, dos brasileiros e dos holandeses… as comparações são inevitáveis, mas é bom tentar limpar os olhos pra ver as coisas sem pré-conceitos e reconhecer os problemas e qualidades dos dois lados…

Sobre as coisas da casa, pode gritar que eu ajudo daqui! Mas se te conheço bem, você vai ter um milhão de coisas mais interessantes pra fazer (tipo achar um novo fundo de tela pro computador) antes de se preocupar em como fazer pra limpar direito o banheiro ou tirar mancha de roupa! hahaha

Saiba que por mais comidas deliciosas que você encontre por aí, o básico gostinho brasileiro vai fazer uma mega falta e na volta você nem vai dar conta de resolver todas as saudades!

Acostume-se, aliás, com as faltas, com as saudades, com as ausências. Você vai sentí-las quase que diariamente e às vezes vai chorar por elas tanto quanto vai chorar por não querer voltar à velha vida!

Lembre-se sempre que (pelo menos dessa vez) é só por um ano! Não perca tempo deixando coisas pra depois, aproveite tudo o que puder na hora que puder, mas sem sofrer o final por antecipação, ok?!

Um ano vai parecer uma vida inteira! Você vai mudar muito (pra melhor e pior) e é provável que a parte que não mude você acabe descobrindo como “sua essência”.

Você vai aprender muito! Sobre ciência, sobre história, sobre a vida, sobre você, sobre sua família e suas origens! Esteja aberto pra abraçar tudo isso! Aberto pra pensar e repensar sobre o novo e sobre tudo que você tinha antes como certo.

Deixe espaço pro amor!  De perto ou de longe, com ou sem prazo de validade… amor é sempre bom de ser vivido! 

Cuidado com as liberdades da vida solitária à distância no país das liberdades… Curta o que puder, mas lembre-se: sem se perder de você – da sua essência e da sua consciência! rs 

A ficha de que você está aí “pra valer” deve ir caindo aos poucos…a cada passo… a chave do alojamento, o desfazer a mala, as primeiras refeições, os primeiros amigos, a primeira aula – acho que meio parecido com a faculdade no interior – e cada vez que a ficha descer um pouco mais, você vai sentir mais euforia e mais medinho… as duas coisas também serão parte de você agora!

Paciência no supermercado! rs Por mais cansativo que seja no começo, vá provando aos poucos (e talvez até anotando marcas e tal), pedindo dicas e prepare-se pra jogar um monte de coisa ruim e bizarra fora! hahaha Procure as coisas conhecidas pra ter em casa – pra se sentir em casa e matar umas saudades – mas aventure-se também nas coisas típicas do lugar!

Não fique só no grupinho do brasileiros e/ou estrangeiros! Sempre que tiver a chance, conviva de perto com os holandeses! É a melhor maneira de conhecer de verdade o país e a cultura!

Fique atento à cultura! Vá percebendo o que não é bem visto, o que pode ser ofensivo (rs), como eles tratam e como gostam de ser tratados… você está “na casa” deles, é de bom tom seguir as regras do lugar!

Por mais google-maníaco que você seja, acredite, tem conselhos, receitas e orientações que só mãe sabe dar! E pai…e irmã que tá virando mãe…rs

Saiba que quando ficar doente você vai querer muito “estar em casa”, vai querer colo de mãe e pai e vai escrever pra eles só pra ter de volta um “ah que droga, filho, se cuida…”!

Esteja preparado pra errar, pra tropeçar, pra cair de bicicleta (rs), pra passar vergonha…! E sempre que precisar “chorar” (ou só choramingar) a gente vai estar aqui, pra recomendar remédio e pra rir disso tudo… te dar mais saúde e mais leveza!

E use sempre filtro solar! hahahahahahha


Se eu for lembrando de mais coisa vou atualizando o post….e daqui a um tempo você vai me ajudar a completar essa lista, ok?!



Te amo, hermano! Espero que você possa viver essa experiência ao máximo – pro bem e pro mal – com toda a riqueza que ela terá!

(e espero que dê pra me fazer uma visitinha no começo do ano que vem, porque eu não sou de ferro e vou morrer de saudades! rs)


Vida de expatriado será moleza pra um leão selvagem! hahahaha






  

"Eu penso em vocês night and day"

“Saí de sao Paulo com o maior nó na garganta desde que me mudei pra Santiago… nunca foi tão difícil voltar pra casa…
Me despedi do meu irmão que está indo passar um ano na Holanda e nem o chororô que começou no dia anterior conseguiu aliviar o problema…
No avião, quando começou a tocar Zeca Baleiro no iPod, o nó piorou e doeu…


E aí eu entendi que aprendi a lidar bem com a saudade. Vida de expatriada, né?! Saudade é quase sinonimo…
Mas nao aprendi a viver com toda ela, não. Só com as que eu sei quanto tempo vão durar…


Eu, que sempre me achei o ser mais ansioso do mundo, hoje sei que posso esperar sem problemas semanas e semanas com o desejo de comer pão doce com melequinha amarela, contanto que eu saiba quando vou pode comer o bendito – mesmo que esse quando esteja ainda uns 6 meses lá pra frente…Espero “de boa”…


Agora, duro, doído e difícil demais é ficar sem saber quando raios vou poder ir de novo num show do Baleiro ou, pior ainda, qual será a próxima vez que verei meu irmão…e quando ele conhecerá minha filha…


Choro no avião escrevendo este pequeno texto no celular, porque com essa saudade sem prazo de validade acho que nunca vou aprender a conviver… E nem quero…
Mas nesse momento ela faz parte da minha vida… E só me resta chorar mesmo, né?!
E torcer pro Baleiro vir pro Chile e pro meu irmão poder vir nos visitar em fevereiro! ;)”




Acabei de passar 10 dias no Brasil (por isso dei uma sumida!) e escrevi isso aí ontem,no vôo de volta… Acordei hoje toda “bunda”, tristonha, chorosa, chorona, solitária e com muita saudades também dos que eu sei quando vou reencontrar… o tal nó ainda tá aqui comigo!

Mas apesar desse “desfecho”, a viagem foi ótima! Amanhã venho contar os detalhes, ok?!

Beijos!


(ps.: depois que publiquei fiquei pensando que deve ser bem bizarro pra quem não me conhece ler essas comparações entre meu irmão – Baleiro – pão doce! hahaha
E talvez pra quem me conhece também…hahahaha)

"Consta nos mapas"

Parece clichê essa história de que “meu marido é minha base, meu suporte, minha segurança, minha estrutura”.
É clichê mas é verdade, né?!

E no meu caso não é só porque ele tem 2,03m de altura. Nem só porque quando ele me abraça tudo volta ao lugar certo. Ou porque ele é o prático e racional da família.

É por tudo isso, sim, mas é ainda mais literal! Porque, é impressionante: TODAS as vezes que ele vai viajar e eu fico sozinha em casa com a Maní o chão treme!! Literalmente “todas” e literalmente “treme”!!!




É batata: é só estar sozinha que tem um temblor mais fortinho (ou fortão)!!!
E eu já sei disso… tanto que sempre fico na dúvida entre trancar a porta (afinal, estou sozinha) ou não (afinal…e tremer??) rs
Eu já sei, mas não deixa de me impressionar: eita conexão, hein?! Conexão entre nós dois e conexão de cada um de nós com esse país!
O Chile simplesmente sabe, ele sente a ausência dele e minha solidão… e fica tão vulnerável em sua própria estrutura quanto eu fico na falta dele… 
Acho lindo! rs
(pelo menos enquanto não vier não vier um terremoto fortão de verdade! E enquanto as viagens do Lucas forem curtinhas! hahaha)

"Consta nos mapas"

Parece clichê essa história de que “meu marido é minha base, meu suporte, minha segurança, minha estrutura”.
É clichê mas é verdade, né?!

E no meu caso não é só porque ele tem 2,03m de altura. Nem só porque quando ele me abraça tudo volta ao lugar certo. Ou porque ele é o prático e racional da família.

É por tudo isso, sim, mas é ainda mais literal! Porque, é impressionante: TODAS as vezes que ele vai viajar e eu fico sozinha em casa com a Maní o chão treme!! Literalmente “todas” e literalmente “treme”!!!




É batata: é só estar sozinha que tem um temblor mais fortinho (ou fortão)!!!
E eu já sei disso… tanto que sempre fico na dúvida entre trancar a porta (afinal, estou sozinha) ou não (afinal…e tremer??) rs
Eu já sei, mas não deixa de me impressionar: eita conexão, hein?! Conexão entre nós dois e conexão de cada um de nós com esse país!
O Chile simplesmente sabe, ele sente a ausência dele e minha solidão… e fica tão vulnerável em sua própria estrutura quanto eu fico na falta dele… 
Acho lindo! rs
(pelo menos enquanto não vier não vier um terremoto fortão de verdade! E enquanto as viagens do Lucas forem curtinhas! hahaha)

"É sempre lindo andar na cidade de São Paulo"

4 dias e 4 noites.
Non stop (vide as olheiras nas fotos).

Comida, abraços, amores, amigos, beijos, carinho, sobrinhos, beijos babados, mais abraços, jogos, risadas, umas lagriminhas…
Coxinha, capuccino, milk shake, bomba de chocolate, arroz e peixe assado, arroz e feijão, medalhão ao molho madeira, pudim, bolo, yakissoba, mixirica, sequilhos, pão francês, toddy, pizza de frango com catupiry, pingo d’ouro, chocolícia, frango empanado, yakult……..

Foi assim, passagem the flash por São Paulo no fim de semana… não sobrou nem migalha – nem minha pelo cansaço, nem dessa comidaiada toda que eu ataquei bonito!!! hahaha

E oh, é cansativo à beça, é engordativo à beça, é até meio loucura… mas é bom demais!!!!

Claro que sempre falta, né?! Gente pra ver, abraços pra ganhar, alguma coisa pra comer (rs), fotos pra tirar…
Dessa vez foi tão mega blaster corrido que eu nem tentei marcar nada com ninguém, ficamos só com as famílias “nucleares” mesmo, sabem?!

(e mesmo assim, tive uma sorte imensa de trombar aos mesmo tempo com duas queridonas no shopping!!)

Eis que no meio do shopping…

Família sonolenta

Sobrinhos!!!
Queridos

Agora tô aqui, tentando recuperar a energia, colocar a casa em ordem, lavar tudo que é roupa (e cachorra) e me atualizar na blogosfera, que eu fiquei muito tempo longe…
E, principalmente, matando a saudade da minha pequena preguiçosa!


Não consegue nem abrir os olhos…


Devargazinho eu consigo isso tudo…rs

"se adianta tomar uma aspirina"

Já escrevi outras vezes sobre as amarras que precisamos soltar nessa vida de expatriado, e sobre aquelas que continuam bem firmes e amarradas – AQUI, por exemplo.

Curiosamente, a questão da saúde é a que “mais pega” nesse sentido. Acho que por hábito e cultura, mesmo…

Penei um monte até encontrar um ginecologista aqui que correspondesse minimamente à minha expectativa de “mas eu amava tanto minha médica no Brasil..”! Tô há séculos sem consultar alguns médicos que sempre precisei com frequência, como oftalmo, porque me dá a maior fadiga ter que procurar aqui um desconhecido (aí prometo marcar pra quando for pro Brasil e, lógico, nunca dá tempo nem de pensar nisso!)

Farmácia então…nem se fale!
Sempre foi um dos meus passeios favoritos (hahahahhaha! sou meio hipocondríaca, já contei?? rs), mas aqui tem bem menos graça!
Sempre vou pro Brasil com uma listinha de coisas pra trazer e vira e mexe, peço um complemento pra alguma visita que vem…

Dá só uma olhada:



Todos esses aí na tampa são “importados”! rs
Seja porque aqui não existe, ou porque eu não encontrei um similar, ou porque eu não confio no que indicaram aqui…ou por puro apego à marca mesmo! Minha “farmácia particular” ainda é, majoritariamente, brasileira!

Pode parecer frescura (e provavelmente é! hahaha), mas vejam só esse exemplo:

Na última gripe que tive, lá nos idos de 2012, cismei que PRECISAVA de vick vaporub! Dei google e vi que aqui não tem… Achei na farmácia um ungüento milagroso que, teoricamente, substitui o vick.

Milagroso porque, “fijense” em quantas coisas juntas ele trata!!! Parece aquele óleo de peixe espada que vendiam no trem! hahaha



Pra aproveitar a função bombril (aaahhh, que saudade de bombril!!!) do ungüento, eu passava ele direto no nariz, aí já hidratava a pele judiada pelos lencinhos também…
Apesar de estar ok com o amigo milagroso, meu coração brasileiro falou mais alto (hahaha) e em dezembro, lógico!, trouxe um pote de vick vaporub pra casa!!! Mó feliz!!! rs

Só que desde então eu não tinha ficado gripada, e o vick ficou esquecido no fundo da caixa de sapato farmácia…

Até que esse sábado caí de cama (só não literalmente porque ando atolada de coisa pra fazer) com uma gripe mutante terrível – dessas que engana que vai melhorar pra, em seguida, te derrubar em outra onda maldosa, sabem?! E, acreditem, só ontem me lembrei do tesouro escondido…rs

Peguei o vick fechado e pensei bem..será que valia a pena abrir? Afinal, o ungüento dos milagres estava ao alcance das mãos…aberto… e ainda hidrata a pele! rs

Abri! E passei que nem eu passava o outro: besuntei todo o nariz, beeeemmm besuntado! E fui pra cama!
Quando o Lucas chegou eu estava com tudo ardendo!!! Sem conseguir me mexer muito (porque o ar do movimento fazia arder mais), com os olhos lacrimejando, a cara toda vermelha (segundo o Lucas) e, juro, meio abestalhada! (sabiam que vick dá barato?!?!?!?! hahahahahaha)

Lucas me mandou ir lavar o rosto (nem fui! rs) e depois aplicou o negócio como deveria ser…



E sabem qual foi a lição que eu aprendi?!
Não era frescura!!! Vick é infinitamente melhor que ungüento dos santos!!!! Tão, mas tão melhor, que é mais forte do que minha pobre cara quase chilena estava preparada pra receber…. hahahaha

Fim da história!


Como o texto já tá gigante, outro dia entro no tema das comidas…e do medo que tenho de acabar tendo filho com cara de Chocolícia!!! hehehe


Besos


Nalgum Lugar

Lar
Lá em Casa
Hogar
Home
Cafofo
Ninho

Não importa como você prefere chamar, não importa o idioma que você usa: você certamente conhece a sensação.

Pode ser uma presença especial, pode ser um cheirinho de bolo assando, pode ser a recepção apaixonada de um bichinho, pode ser o toque de um cobertor macio de tão velho… pode ser tudo isso junto.

E pode ser tudo isso separado!

Vida de pais separados desde sempre, sempre foi vida de múltiplos lares – a minha, no caso…rs

E a gente vai crescendo e os lares vão se multiplicando ainda mais… vem uns pedacinhos novos de lares pra você chamar de seu: o lar coletivo na faculdade, lar da melhor amiga, o lar do namorado (que depois pode virar a casa dos sogros)…

E aí você se apaixona e a vida faz seus caminhos pra que tudo dê certo.. e um dos primeiros frutos dessa paixão acertada é o lar compartilhado…
E foi assim que meu marido se tornou meu lar!

E seguindo os caminhos, minha “multiplicidade laral” (hahaha) virou internacional e nós viemos construir nossa casinha do lado de cá da Cordilheira!

E lar que é lar é aquele que dá uma aquecidinha no coração só de você pensar nele… é o lugar pra onde você quer voltar desesperadamente depois de um dia difícil… é pra onde você quer correr quando o coração dói, ou pra onde você quer ligar quando a barriga dói…

Eu tenho a sorte de ter vários! Mesmo!

O único problema dessa história toda é que lar, lar de verdade, é lugar de onde você até sai quando tem que sair, mas sempre deixando um pedacinho dolorido de você pra trás…


Né, não?!