“E onde a pura natura”

Entonces que ontem tivemos consulta com a médica e levamos nosso Plano de Parto pra ela.

Apesar de falarmos bastante sobre o tema em todas as consultas, achei que seria importante levar o negócio escritin, tim-tim por tim-tim. Então peguei o do parto da Cecília, fiz alguns ajustes pertinentes e pronto.

Daí que ela começou a ler o negócio e ficou até quase que meio ofendida, por assim dizer…rsrs

Ela ficou chocada, com “asco”, chateada mesmo de ler aquilo tudo que pedíamos que não fosse feito… Nas palavras dela “que chocante pensar em tudo o que as mulheres precisam se preocupar e escrever pra se proteger, quando eu sei que o meu trabalho é fazer o menos possível, pra não desequilibrar nada e tudo sair bem!”

Ela é alemã e apesar de estar há um tempinho na Espanha, a formação dela é de lá e muito diferente da que vemos como padrão por aqui (e no Brasil, né?!); além disso, a enorme maioria das pacientes dela são estrangeiras e tampouco precisam se preocupar muito com coisas que a nós saltam tanto, por isso o choque!

 

É muito triste mesmo, né, pensar que temos que fazer um documento (em alguns lugares protocolado como documento oficial mesmo) pra tentar nos proteger de absurdos tão grandes e tão rotineiros, num momento tão delicado e tão natural…

(tão triste que não consigo ignorar e simplesmente não falar sobre o assunto, né?! #ativistafeelings rs)

 

Enfim, explicamos pra ela que era um modelo genérico, que de onde a gente vem (e inclusive onde pari antes) essas coisas são importantes de serem ditas e pedidas e tal… Foi uma boa conversa! E, sim, o plano de parto foi discutido item por item, esclarecemos coisas que precisávamos e etc. Produtivo!

Produtivo também pro meu amigo cérebro, que ficou pensando nas expectativas pra esse parto e chegou a uma conclusão importante: nesse parto eu quero sentir MAIS!

 

Antes do parto da Cecília quando questionada sobre o porquê de querer ter um parto normal uma das minhas principais respostas era “porque eu tenho curiosidade. quero saber como é. quero sentir. quero experimentar”. E eu consegui, senti, contraí, pari…!!!

 

Pois bem, dessa vez quero sentir MAIS!

Gostaria de sentir os tais puxos involuntários, de ouvir o tal ploft da bolsa estourando, de sentir (talvez, quem sabe, esse eu não tenho tanta certeza! hahaha) o “círculo de fogo”, a cabecinha do bebê saindo (não me lembro de ter sentido, acreditam?!?! Só lembro do corpinho escorregando) e, principalmente de sentir e guardar na memória o tão famoso cheirinho do vernix! (quase coloquei no plano de parto: me lembrem de cheirar ele!!! hehehe)

Óbvio que essas sensações todas não são escolhíveis, mas não custa desejar, né?! 🙂

Ah!! Também quero ser eu a cortar o cordão (morro de curiosidade de sentir a textura e o Lucas já fez isso da primeira vez) e, se possível, quero eu mesma pegar meu bebê logo na saída (se é que vocês me entendem – porque não consegui desenvolver a frase de um jeito melhor que esse..hahaha)

Quereres definidos. Veremos como será o “aconteceres“! hehehe

 

ps.: Faltou acrescentar ontem um dos maiores “quereres” dessa lista (deve ser ato falho, só pode! rs)

Quero MUITO conseguir me entregar mais, desligar mais a cabeça, deixar mais meu corpo tomar conta, curtir de verdade a tal da partolândia! Acho, inclusive, que esse é um caminho pra ter mais as sensações que senti falta no parto anterior, né?!

Será que eu consigo virar bicho-mamífera e me entregar profundamente dessa vez??

 

 

Anúncios

“Mais do Mesmo”

Daí que nessa ida pro Brasil um assunto recorrente nas minhas conversas foi Parto (menos recorrente do que a Louca do Parto aqui gostaria! hahaha) e me deu vontade de voltar a falar desse tema! hohoho
Então vou fazer um post como já vi em alguns blogs por aí: vou postar meu plano de parto, revendo e avaliando expectativa x realidade! Simbora?!

(preguiça de traduzir tudo, galera…vai em espanhol mesmo e vou explicando o que achar que preciso, ok?! rs)

Plan de Parto Gabi y Lucas

 

Estimado/a matrona y obstetra:

Vamos a tener nuestra hija y deseamos que su nacimiento sea lo más humano, respetado y natural posible, por eso solicitamos su comprensión.

 

Nos gustaría favorecer el inicio espontáneo del trabajo de parto y los ritmos de mi organismo ( favorecer un parto normal vaginal), tal y como se recoge en las recomendaciones de la O.M.S. y que concretamos en los siguientes puntos:

 

  • Solicitamos evitar los tactos vaginales (exames de toque) innecesarios (incluso a fines de la gestación), a menos que sea evidente el inicio de trabajo de parto – Feito! Meu obstetra não fez NENHUM toque durante toda a gravidez/parto e a matrona só fez um, quando chegamos na maternidade!

  • Deseamos estar en la casa mientras el trabajo de parto este comenzando, con tranquilidad y intimidad para que la evolución sea lo más natural – Feito!!!

  • Deseamos que el preparto y el parto sean en una de las Salas de Parto Integral, donde la atmósfera sea lo más serena posible, y se propicie un ambiente respetuoso con la vonlutad y los ritmos de la madre. Nos gustaría luz tenue, música tranquila, preparto calentito… – Levamos o tocador de música mas não pensei em ligar lá; a matrona se encarregou de ajustar luz e temperatura, mas vendo as fotos penso que se estivesse mais escurinho seria ainda melhor!

  • Deseamos estar juntos todo el tiempo y además contar con la presencia de una doula. Estos acompañantes serán un importante apoyo activo a la madre – Feito! Ficamos o tempo todo juntos e quando eles pensaram que precisariam sair a matrona não deixou, lindo!!

  • Solicitamos que se abstengan de administrar métodos y tecnologías hospitalarias que alteren dichos ritmos naturales, a no ser que estén totalmente justificados y cuenten con nuestro consentimiento – Fizeram os procedimentos que já tinham nos avisado que aconteceriam: mediram pressão e temperatura e colocaram o saco do acesso venoso..

  • Solicitamos que la madre pueda elegir comer y beber alimentos livianos cuando tenga ganas, no siendo necesario la vía venosa para hidratación de la misma – Apesar do acesso venoso colocado, não me colocaram soro nem nenhuma outra coisa. Não quis comer nada (desde umas 13h) e acho que nem teria dado tempo na maternidade (rs), mas tomei muita água o tempo todo, a Silvia tava sempre com a garrafinha lá! (água, aliás, que levamos de casa, porque eu não gosto da maioria das marcas de água daqui…rs)

  • Solicitamos que no se rasure, ni se administren lavados intestinales (enema) – Feito! Ou melhor, não feito! rs

  • Solicitamos evitar uso de oxitocina artificial para acelerar el trabajo de parto, solo si fuera estrictamente necesario y que nos informen – Não foi necessário.

  • Solicitamos evitar el uso de anestesia/analgesia, a excepción que nosotros lo solicitemos. Pedimos que no estén permanentemente ofreciendo anestesia, menos aun durante la contracción. Si hemos pedido retrasar o evitar la analgesia apoyen de corazón, creyendo en la mujer. Estamos preparados para el dolor, sabemos que la analgesia natural de endorfinas funcionan – E funcionaram! A única vez que se falou em anestesia foi quando chegamos à Clínica, quando a matrona confirmou que eu não ia querer tomar!

  • Deseamos ocupar otros métodos de manejo de dolor (como masajes, respiración guiada, agua caliente…) Si la analgesia se hace necesaria, pedimos que sea en una cantidad muy baja, solo para el alivio del dolor, pero que la madre pueda caminar, sentir las contracciones y los pujos, etc.. – Estava livre pra usar os outros métodos, por tanto o tema da quantidade de anestesia nem veio ao caso!

  • Solicitamos evitar el monitoreo fetal continuo. Sabemos que el monitoreo fetal intermitente es necesario – Escutamos o coração da Cecília algumas poucas vezes, sempre sem que eu nem precisasse sair da posição que eu tinha escolhido estar!

  • Solicitamos evitar la episiotomia. Pedimos hacerla solo cuando haya un riesgo evidente de desgarro amplio y profundo – meu GO chegou a achar que seria necessário, mas, ufa!, conseguimos evitar!

  • Solicitamos que se respete la libertad de movimiento de la madre y su capacidad para escoger la postura más conveniente para manejar los dolores de las contracciones y para el parto mismo. Pedimos que se eviten las posiciones horizontales y que la madre pueda escoger posiciones más verticales (como de rodillas, semisentada o de cuclillas) – senti falta de uma banqueta de parto, pra poder estar de cócoras (cuclillas) sem cansar tanto as pernas (e o Lucas! hahaha) e, infelizmente, tive que subir na cama pra mudar o ângulo e a Cecília conseguir sair, sem ter osso no caminho atrapalhando..rs

  • Deseamos que la mamá reciba un apoyo reconfortante, que la acuerden de respirar y cambiar de posición, refuercen la confianza en su capacidad de parir, que no le dirijan los pujos y le acuerden la importancia de la suavidad al momento de la salida del bebé – faltou essa lembrança da suavidade no final… pelo que me lembro fiz força durante toda a saída da cabeça e talvez por isso tenha lacerado mais…

  • Solicitamos que no se haga la manobra de Kristeller, por riesgo de rotura de útero y por estar contraindicada por la O.M.S. – hmmmm! Acho a tentativa da matrona de empurrar minha barriga se classificaria como Kristeller, não sei… mas me deixou puta, anyway…

  • Solicitamos que tras el nacimiento del bebe se postergue el pinzamiento del cordón umbilical en al menos 2 a 3 minutos, idealmente que deje de latir. Deseamos también que el padre pueda hacer el corte del cordón – não sei se já tinha parado de pulsar, mas sei que esperaram alguns minutos.. O Lucas não tinha certeza se ia querer cortar o cordão, mas deixei no plano pra garantir, ‘por si acaso’.. e já tava combinado que se ele não quisesse, eu cortaria! Quem sabe no próximo me certifico que tenha parado de pulsar e não corto eu mesma! =)

  • Solicitamos que nos ayuden favoreciendo una transición suave a la respiración pulmonar de nuestra hija (evitar las aspiraciones de vías) y que ella pueda ser abrazada y amamantada inmediatamente post parto – Lindamente feito! =)

  • Solicitamos respetar nuestra intimidad post parto y favorecer el contacto piel con piel entre 60 a 120 minutos, reconociendo los beneficios fisiológicos tanto para la madre como su hija, facilitando también el alumbramiento. Si esto no fuera posible en la sala de parto, permitir hacer contacto piel con piel en la habitación – feito! Ficamos 100 minutos (!) no contato pele a pele e sozinhos na sala (depois que a equipe deu uma limpadinha na bagunça..) antes que voltasse o pediatra e nos pedisse autorização pra examinar e vestir a bebê; depois mais alguns minutos antes de descer pro quarto..

  • Solicitamos que el alumbramiento (salida de la placenta) sea lo más natural posible, es decir, esperar que se desprenda, sin traccionar – Feito.

  • Solicitamos evitar colirios en los ojos del bebé – Feito!

  • Solicitamos evitar/postegar la administración de Vitamina K en el muslo de nuestra hija (hasta que esté tranquila y/o mamando en el pecho) – aqui não existe a opção da Vitamina K oral, então tinha que ser injetável mesmo.. ela voltou pro meu colo no meio do exame do pediatra e tomou a vitamina ali, nem reagiu…

  • Solicitamos postergar el peso y las mediciones de recién nacido para poder favorecer el contacto piel con piel inmediato si el estado del bebé lo permite – Feito!

  • Solicitamos permanecer juntos todo el tiempo en la estadía en la maternidad – feito! Só levavam ela 1 vez por madrugada pra pesar (e tirar sangue na primeira madrugada), mas demorava uns 5 minutos só e o Lucas ia sempre junto (ficava olhando pela janelinha, porque não podia entrar no berçário, mas ia junto! rs). De resto estava no quarto grudada na gente o tempo inteiro!

  • Solicitamos estar presentes (y activos) cuando el bebé sea examinado, aseado, etc – si por alguna complicación la madre no pueda acompañar, que el padre siempre lo haga – Feito!

  • Solicitamos que nuestra hija no reciba nada sin nuestra autorización, es decir, sin leche artificial, chupete, té, agua, etc… – Feito!! Inclusive as vacinas ela só tomou no último dia, porque não autorizamos no primeiro!

En el caso que se haga necesaria una Cesárea: – não se aplica, mas meu médico já tinha sido honesto e me dito que não podia garantir tudo isso, por conta das regras do centro cirúrgico e disse que uma parte dependeria da equipe de plantão que nos atenderia… Ainda bem que não precisamos dessa parte!

 

  • Solicitamos que la anestesia sea regional para que la madre pueda estar despierta.

  • Solicitamos que el padre pueda acompañar la madre durante todo el procedimiento.

  • Deseamos la madre pueda recibir el bebé lo más pronto posible y que también se favorezca el contacto piel con piel en los primeros momentos de vida del bebé.

  • Deseamos que el ambiente sea cálido, respetuoso, con silencio, especialmente al momento de la salida del bebé.

  • Solicitamos que el padre pueda acompañar todos los procedimientos necesarios en el bebé luego del post parto.


Pedimos explicaciones claras sobre todos los procedimientos (con la madre y el bebé), sobre el progreso del trabajo de parto a medida que se evalúe y sobre cualquier complicación que se presente – Feito!

Estando seguros de contar con su apoyo, nosotros ponemos nuestra confianza en ustedes y agradecemos de todo corazón su comprensión. Esperamos que esta sea una experiencia muy gratificante y enriquecedora para todos.
Sabemos que nuestro plan de parto se orienta a que todo siga su curso normal y estamos abiertos a la posibilidad de que tengan que ocurrir ciertas modificaciones en el mismo día del trabajo de parto (para eso, solicitamos que siempre nos informen y consulten).

Con todo nuestro cariño, firman los padres

 

 

É um exercício gostoso fazer isso e percebo, satisfeita, que pouca coisa saiu diferente do planejado…

Se eu disser que tenho saudades do parto, vocês acreditam?!? rs 

 

 

 

 

Tem como não sentir saudades de tamanha felicidade???

Tem como não sentir saudades de tamanha felicidade???