“Serão meus, ainda e sempre”

Eu não gosto de modinha. E não gosto de “virais do facebook”. Então fiquei de #mimimi e resolvi que não ia postar nada sobre o aniversário do Chico, porque tava todo mundo postando.

Acontece que minha timeline ficou a coisa mais linda cheia dos (terceiros) olhos azuis mais lindos do planeta. Acontece que 70 é um aniversário especial. E acontece que o que eu sinto por esse homem é Amor, com letra maiúscula, e amor assim é difícil sentir em silêncio…

Uma vez, em análise, tentei decifrar o que o Chico significa pra mim e faltaram palavras.
O Chico representa minha família, representa minha formação musical e representa minha independência musical. Chico é sinônimo de coração repleto. Vai além da admiração. Vai além do que eu posso explicar.

Sinto e declaro, sem vergonha.

É um dos traços mais claros e escancarados da minha identidade:
“A Gabi? Ah, ela gosta de Chico Buarque…”

Por isso hoje não posso deixar de comemorar os 70 anos de vida do homem da minha vida (meu marido já sabia desse título bem antes de pensar em casar comigo…rs), agradecida pela sua existência, emocionada pela sua genialidade, grata por sua obra e por sua presença em minha vida!

20140619-225116-82276777.jpg

Os meus Chicos

Anúncios

"Querido Diário" – 8s3d

“Maní tá resfriadinha… nada sério, mas tá espirrando, com nariz escorrendo e meio febril… pode ser pouca coisa, mas coração de mãe aperta, né?! Tadica…

Essa semana tenho sentido menos náusea (mais fracas, na verdade), mas muita fome… assim, MUITA! O dia todo quase…rs
Já engordei uns quilinhos, então tô tentando não abusar… mas é difícil lutar contra a vontade de almoçar duas vezes por dia, viu?! rs Fora que o bolo de cenoura do dia dos pais vive na cozinha, gritando por mim! hahaha
Além da fome, tenho sentido também bem mais sono essa semana… no fim de semana tirei “siestas” de mais de 2 horas, e agora durante a semana, sem dormir a tarde, dá 21h e já tô querendo correr pra cama!


Esqueci de contar, mas há poucos dias comecei a sentir a barriga um pouco mais durinha e com um “ploft”, tipo uma bolotinha na parte baixa, no útero… marido diz que eu tô viajando, mas tenho certeza que isso não era assim antes e, como dura já uns dias, também não é intestino preso! hahaha

Postei a notícia no blog e divulgamos o link pra uma parte mais ampla da família…e já começou a chuva de carinho!!! Coisa delícia que é isso, não?!

Tenho sentido algumas dúvidas com relação à escolha do médico… Não sei… ele é bem bacana, mas até agora ele não me pesou ou mediu pressão, só pediu e olhou e exames e fez dois ultra-sons… tá martelando na minha cabeça a questão do “cesarista! cesarista!” e tô com medinho…
Tenho consulta marcada com ele pra 10/07 e resolvi esperar essa consulta de verdade pra ver (porque as outras duas foram um encaixe e um ultra mesmo), se sair de lá com dúvida ainda, vou procurar outro médico! Afinal, segurança é tudo, né?! Não adianta eu achar ele legal mas ficar com a sensação de que ele vai me enganar no final…rs

Hoje é aniversário do vovô Claudio e do amado Chico…dia bonito esse! =)”


(19/06/2013 – 4ª feira – 8s3d)

"Tô lhe contando que é pra lhe dar água na boca"

“Chico é como um parente distante, que chega de repente e penetra na intimidade do nosso lar.”



A frase é no Nelson Rodrigues, o livro é da Regina Zappa, a biografia é do Chico Buarque, o presente eu ganhei do Lalo.

Mas quem se delicia sou eu. Quem está ainda mais apaixonada, sou eu!
Sério, dá vontade de ler esse livro infinitamente, pra sempre, todos os dias…

Ele traz a sensação de que estou do ladinho do Chico, escutando ele e amigos muito próximos a ele narrarem lindas histórias sobre uma vida que eu queria ter vivido; ou pelo menos acompanhado de perto.
(como eu sempre digo, nasci na época errada!)

É só a sensação, mas já é tão gostoso!!!Acho que isso é o que todo livro deveria proporcionar ao seu leitor…
Esse acertou na mosca!

No final, as histórias são do Chico e sobre o Chico, eu não estava lá pra ver e contar, a Beneton não gravou tudo e a globo só passou umas partes…mas o bom é poder abrir o livro e tê-las ali, pra hora que eu quiser relembrar, como se elas quase fossem minhas!





Ah! Não preciso nem dizer que nos dias em que estou lendo não consigo ouvir nenhuma outra coisa, né?! 

"Pra quem você tem olhos azuis?"

Talvez porque por um bom tempo éramos as duas e só.
Talvez porque sempre estivéssemos as duas – com ou sem mais alguém.
Talvez porque nós, de alguma forma, crescemos juntas.
Talvez porque eu não seja muito boa de amigos novos.
Ou talvez simplesmente porque sempre foi assim.
De qualquer jeito, assim é o melhor jeito!


Legalmente ela virou “adulta” exatamente 15 dias depois que eu nasci. Imagino que na prática tenha sido um pouco diferente… Antes ou depois ou durante… ou os três.

Outro dia, num cartão de aniversário ela fez a matemática de quanto, na porcentagem da vida dela, eu estive presente.
Pois pense bem, se eu estou com você a mais de um terço da sua vida, o que dizer da minha, que tem 100% de você?

Não precisa me conhecer muito a fundo pra reconhecer em mim seus pedaços. Seja no nariz de tomada, na maçã do rosto que tá mais pra manga, no Chico Buarque, no Lô Borges, no Gênesis, no Trem de Pirapora, no Balão Trágico… Na jeito de pensar, de chorar, de dirigir… Na dificuldade de enxergar ou nas trapalhadas do dia a dia…

O blábláblá de “eu não existiria sem você” é bastante redundante no caso filha-mãe; e eu sei que sou suspeita pra falar, mas realmente acho que nossa relação é mais especial do que as que estão por aí…

Correndo o risco de ser repetitiva – ou melhor, já sendo – nas datas especiais é mais difícil estar longe; e o coração dividido dessa vida de expatriada fica ainda mais apertado em dias como hoje…
Queria estar aí, dando e ganhando colo, comendo comidas gostosas, fazendo programa de “nós 4”. Queria dar todos os beijos e abraços que estão faltando e mais vários especiais pelo dia.

Eu não posso te responder a última pergunta que você me fez quando nos despedimos da última vez, porque eu não sei a resposta. Mas uma coisa eu garanto: por mais feliz que eu esteja longe, um pedaço do meu coração sempre vai estar dolorido (de saudade, de culpa, de amor…)
E mais: por mais longe que eu esteja, não importa os quilômetros de cordilheira ou os infinitos litros de mar que possam tentar nos separar… Eu sei que sempre estaremos juntas!
Você está sempre no meu coração e na minha cabeça – e no meu iPod, e no meu fogão…

Te amo porque você é minha mãe, porque você é minha amiga, porque é uma pessoa incrível, porque tem os olhos mais azuis e mais expressivos que eu já conheci, porque tem o sorriso mais “iluminador de ambientes” da história (tá, vai…acho que só não ganha do Gael Garcia Bernal…hahaha), porque é uma profissional impressionante, porque é um ser humano especial… Te amo porque você é você – em mim, nos outros e em você!

O dia já tá acabando, mas durante todo ele eu te desejei um feliz aniversário. E desejo – todos os dias, mas hoje especialmente – que cada dia da sua vida seja melhor, que as dificuldades tenham uma razão de ser, que os motivos pra comemorar sejam infinitos, que o coração esteja sempre inundado e que você seja cada dia um pouco mais feliz!

Te amo, mãe! Parabéns!!!




"Hora de ir embora"

“Arte de deixar algum lugar
Quando não se tem pra onde ir”

Minha visão do paraíso é um show eterno do Chico Buarque…

Esse de hoje foi especial demais! Fiz questão de não ler antes a setlist e fui me encantando a cada começo de música. Foi perfeito! Pérola atrás de pérola!
Acho que quem montou essa setlist conversou antes com meu iTunes, ou é alguém que me conhece muito bem e sabe direitinho o que eu gosto… Impossível não chorar ao ouvir algumas “primeiras notas”…
Típicos “agora que ouvi isso ao vivo, já posso morrer”. rs
Na verdade comecei a me emocionar logo que chegamos na mesa…hahaha
Chorei um monte o show inteiro e mais um bocado quando acabou…
E claro que agora faltam palavras pra descrever a maravilha, desculpem!

Fica a pergunta de sempre: “por que tem que acabar???”
Sair da beirada do palco (sim, eu assisti o bis debruçada no palco!!!), virar as costas e ir embora…putz! Chega a ser cruel…

Mas não tem jeito…o show acaba, o palco vai sendo esvaziado e em algum momento preciso sair. Por mais que eu gostaria de ficar lá, fantasiando que posso sentir o perfume do Chico, babando no copo de água babado por ele, procurando algum possível fio de cabelo que tenha caído e me sirva de material pra uma futura clonagem, sei lá (rs), alguma hora preciso ir embora.

Mas ir embora já tá virando rotina pra mim…

Acabou o show como acabou a viagem.

Volto amanhã pro Chile com a alma lavada pelo show apaixonante, o coração aquecido pelos abraços e beijos recebidos, a barriga cheia de todas as delícias saudosas comidas, a mala pesada com alguns presentes ganhados, algumas saudades que ficaram sem solução…
E já volta aquela característica divisão de sempre.

Quero ir mas fico triste por não ficar, sabe como é?



“Hora de ir embora
 quando o corpo quer ficar
Toda alma de artista quer partir…”


Então, como disse o Chico: “Adeeeeuuuussss””