“Na tua presença” – 16 meses

Cecília:

Ontem você completou 1 ano e 4 meses e eu fiquei me lembrando do ano passado, quando você completava no Brasil seus primeiros 4 meses de vida, na sua primeira viagem, quando conheceu pela primeira vez tanta gente especial

Tanta coisa aconteceu desde então – tanta viagem, tanta gente especial, tanta mudança, tanta saudade, tanto amor – que é até difícil acreditar que faz só um ano. Com você, minha pequena, os dias continuam sendo deliciosos e intensos – imagine então um ano inteiro disso o que não é…?!

Você está crescendo a olhos vistos e todo mundo comenta o seu tamanho, sua esperteza e como cada vez mais você está deixando de ter cara e jeito de bebê e se tornando uma linda menina! Escuto isso de todo mundo e fico sempre pensando comigo: “nada disso! Oficialmente ela é um bebê até os 2 anos e ainda falta mais de meio ano pra isso! “

Mas ontem me caiu uma ficha (será que você entenderá essa expressão?rs) importante: faz muito tempo que eu não te chamo de “Bebéia”!

Você é minha eterna Pica-pau quando está com sono, minha Delícia quando me agarra num abraço, minha Chinchila quando me diverte, minha Terrivelzinha quando faz aquela cara de safada, a Cecília em tantos momentos do dia e Minha Menina quando ficamos juntinhas nos “chamegando”… mas acho mesmo que a Bebéia anda cada vez menos por aqui…

E, quer saber?! Por mais que eu sinta saudades daquela coisiquinha gostosa, você me faz cada dia mais feliz, assim mesmo, como você é: a cada dia menos Bebéia e mais Cecília!
  

Pra cuidar da saudade eu tenho um montão de fotos e vídeos que posso revisitar sempre! Pra me ensinar a viver o agora tenho a sua companhia, sempre tão atenta, demandante e deliciosa! Ainda bem!!!

Anúncios

10 pensamentos sobre ““Na tua presença” – 16 meses

  1. Acho o nome Cecília lindo, leve, suave, melodioso e sua Cecília combina tanto com esse nome.
    Eu não estou lidando tão bem com o fato de meu bebê estar cada dia mais crianço, já sinto falta do cheirinho gostoso que só os bebês têm.

    Curtir

    • Oonn! Amei essa impressão sobre o nome e sobre minha pequena! Obrigada! ❤️
      Ai, Mari.. Falta eu tb sinto (rs), mas tenho me esforçado pra deixar essa fase passar, sabe?!
      Da uns bons cheiros no Ravi agora, pra não esquecer a delícia que é essa fase molequinho dele! 😉
      Beijo!

      Curtir

  2. Querida, cair a ficha de que estão crescendo vai fazer parte da sua maternidade. Ainda me assusto com o quanto a Laura cresce, e agora a Helena… é dolorido, confesso. E delicioso, aproveito muito.
    Curta mesmo sua chinchila e só agora pude entender o porquê de pica-pau (pq a minha faz o mesmo hahahahahaha)!

    Beijos enormes e muitas felicidades para a pequena Cecília!

    Curtir

  3. Minha querida: preciso te confessar uma coisa: toda hora ouço esta história de que para as mães os filhos nunca crescem e sempre senti uma coisa meio estranha em relação a isso, pois eu, enquanto mãe, sempre observei e admirei o crescimento de vocês. Acho mesmo que o incentivei. Acho que sempre vi mais o que vocês tinham de crescidos do que de pequenos (rs) e hoje penso que talvez devesse ter sabido acolher melhor as necessidades das crianças pequenas que também havia em vocês, além de incentivar e valorizar os passos dados rumo ao crescimento. O engraçado é que acho que hoje, com vocês dois adultos, consigo enxergar melhor as crianças que moram ai dentro de cada um (hehehehe) do que jamais enxerguei e espero estar sendo mais cuidadosa com elas do que fui antes (nunca é tarde, né?!) e, ao mesmo tempo, queria te contar: por algum motivo, em minha memória, vocês nunca regridem até bebês e sim até essa fase que a Cecilia está hoje. Não sei por quê, mas em meu coração você é aquela menininha linda e voluntariosa do “não tila poto” e o Guto aquele menininho de cabelo cacheadinho que cruzava as pernas e já fazia altos pensamentos do tipo: “pra escrever Bia é só colocar o B o I e o A?” … Talvez as “Bebéias” precisem mesmo serem perdidas pra que vocês ganhem o mundo… Talvez… Ou, vai ver, sou só eu que estou ficando velha e desmemoriada mesmo! Rs…

    Curtir

    • Acho que você tocou num excelente ponto: é muito difícil encontrar esse balanço entre o “deixar/incentivar que cresçam” e conseguir ainda acolher bem as necessidades dos bebês que eles (nós! rs) ainda são!

      E fiquei pensando que esse ponto ao que sua memória volta deve estar relacionado com o fato de esse ser um momento em que a personalidade fica mais clara, não?! Você só consegue se lembrar da gente já sendo “a gente”! rsrs

      Beijo!

      Curtir

  4. Uma linda menina! Saudade é bom, Gabi! Mas as fases que estão por vir ainda (e a que está acontecendo, de sua bebéia se tornando uma menininha) serão (é!) também deliciosas! E vamos dar o crédito à mamãe, que está fazendo um “trabalho” espetacular!
    Bjs nas duas

    Curtir

  5. Gabi, aqui dizem que a Liana com um ano já é toddler e não mais um baby. Difícil, né?! Parece que há algumas horas ela era uma newborn… Mas hoje ela faz 1 aninho!
    Parabéns para as nossa bebéias!
    Beijos!
    Rita 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s