"É sempre lindo andar na cidade de São Paulo"

4 dias e 4 noites.
Non stop (vide as olheiras nas fotos).

Comida, abraços, amores, amigos, beijos, carinho, sobrinhos, beijos babados, mais abraços, jogos, risadas, umas lagriminhas…
Coxinha, capuccino, milk shake, bomba de chocolate, arroz e peixe assado, arroz e feijão, medalhão ao molho madeira, pudim, bolo, yakissoba, mixirica, sequilhos, pão francês, toddy, pizza de frango com catupiry, pingo d’ouro, chocolícia, frango empanado, yakult……..

Foi assim, passagem the flash por São Paulo no fim de semana… não sobrou nem migalha – nem minha pelo cansaço, nem dessa comidaiada toda que eu ataquei bonito!!! hahaha

E oh, é cansativo à beça, é engordativo à beça, é até meio loucura… mas é bom demais!!!!

Claro que sempre falta, né?! Gente pra ver, abraços pra ganhar, alguma coisa pra comer (rs), fotos pra tirar…
Dessa vez foi tão mega blaster corrido que eu nem tentei marcar nada com ninguém, ficamos só com as famílias “nucleares” mesmo, sabem?!

(e mesmo assim, tive uma sorte imensa de trombar aos mesmo tempo com duas queridonas no shopping!!)

Eis que no meio do shopping…

Família sonolenta

Sobrinhos!!!
Queridos

Agora tô aqui, tentando recuperar a energia, colocar a casa em ordem, lavar tudo que é roupa (e cachorra) e me atualizar na blogosfera, que eu fiquei muito tempo longe…
E, principalmente, matando a saudade da minha pequena preguiçosa!


Não consegue nem abrir os olhos…


Devargazinho eu consigo isso tudo…rs

Anúncios

"Hora de ir embora"

“Arte de deixar algum lugar
Quando não se tem pra onde ir”

Minha visão do paraíso é um show eterno do Chico Buarque…

Esse de hoje foi especial demais! Fiz questão de não ler antes a setlist e fui me encantando a cada começo de música. Foi perfeito! Pérola atrás de pérola!
Acho que quem montou essa setlist conversou antes com meu iTunes, ou é alguém que me conhece muito bem e sabe direitinho o que eu gosto… Impossível não chorar ao ouvir algumas “primeiras notas”…
Típicos “agora que ouvi isso ao vivo, já posso morrer”. rs
Na verdade comecei a me emocionar logo que chegamos na mesa…hahaha
Chorei um monte o show inteiro e mais um bocado quando acabou…
E claro que agora faltam palavras pra descrever a maravilha, desculpem!

Fica a pergunta de sempre: “por que tem que acabar???”
Sair da beirada do palco (sim, eu assisti o bis debruçada no palco!!!), virar as costas e ir embora…putz! Chega a ser cruel…

Mas não tem jeito…o show acaba, o palco vai sendo esvaziado e em algum momento preciso sair. Por mais que eu gostaria de ficar lá, fantasiando que posso sentir o perfume do Chico, babando no copo de água babado por ele, procurando algum possível fio de cabelo que tenha caído e me sirva de material pra uma futura clonagem, sei lá (rs), alguma hora preciso ir embora.

Mas ir embora já tá virando rotina pra mim…

Acabou o show como acabou a viagem.

Volto amanhã pro Chile com a alma lavada pelo show apaixonante, o coração aquecido pelos abraços e beijos recebidos, a barriga cheia de todas as delícias saudosas comidas, a mala pesada com alguns presentes ganhados, algumas saudades que ficaram sem solução…
E já volta aquela característica divisão de sempre.

Quero ir mas fico triste por não ficar, sabe como é?



“Hora de ir embora
 quando o corpo quer ficar
Toda alma de artista quer partir…”


Então, como disse o Chico: “Adeeeeuuuussss””




"Vou cantar-te nos meus versos"

Hehehe. Brincadeira, não tô fazendo poesia, não!


Vim só contar um pouquinho da visita do Brasil (que já tem quase um mês…rs)


Na verdade, na verdade, esse será um post de muitas fotos! rs
Claro que falta foto de um monte de gente e de um monte de situações.
Foram poucos dias, foi super corrido, mas tentamos ver o máximo de pessoas possíveis, visitar os lugares que precisávamos, comer as comidas de que sentíamos falta…enfim…vamos lá!


Primeiro as famílias:


– Conseguimos passar o aniversário do Claudio com ele!!



 Pai e filhos

 Família Alcaide G. Passerini
O aniversariante e as mulheres!

– Fizemos um tradicional churrasco super gostoso com a família Ramalho! (claro que só lembramos das fotos super no final do dia!)

 Com a Patricia

 Olha o tamanho dos meus irmãozinhos!

Com o meu pai

– Aquela reunião louca da família Lima Louca que sempre acontece só no natal se repetiu em plena metade do ano! E ainda junto com um pouquinho dos Ismerim Nascimento! Reunimos a galera toda numa pizzaria e tivemos uma noite muito gostosa! (também faltam várias fotos…)



– E os amigos não ficaram de fora! Mas as fotos com eles sim… =/
Só consegui recuperar essa:


– Escolhemos essa data ao redor de 20 de junho pra ir pro Brasil justamente porque queríamos conhecer nossa nova sobrinha, a Helena. Então reservamos um dos dias pra ir pra Piracicaba encontrar essas pessoas queridas! (algumas dessas fotos são de arquivos pessoais deles, mas são imperdíveis!)

 Foto mais linda!

 Dois lindos!

 Concentrados no peixinho delicioso!

 Risada mais gostosa da tia!

 Queridos Vivi e Casão!

Linda Helena!


E esse é o resumo visual que ficou da nossa rápida visita!

Mas o mais importante – mais ainda do que a barriga cheia – foi voltar pra casa com o coração aquecido, cheio do carinho que recebemos, cheio do amor e da atenção das pessoas que se mobilizaram pra nos encontrar…
Em tão poucos dias não dá tempo de matar a saudade de verdade, mas serve pra lembrar o quanto amo todos vocês que ficaram por aí!
Já (ou ainda?) estou com saudades!!!

Aos que não estão nas fotos, lembrem-se que não são nem um pouco menos queridos… 
Amigos, família, AV`s, cada abraço foi uma delícia e uma honra! Obrigada!!!

Beijos

Rapidinha

Volta de feriado em São Paulo. Esperava pegar um bom trânsito pra conseguir chegar em Guarulhos. Mas não. Pegamos trânsito pra sair de Guarulhos. No avião!
Foi mais de uma hora depois do “Tripulação, portas no automatico” pra conseguir o “Tripulação, decolagem autorizada”. Porque o tráfego aéreo estava caótico em Cumbica.
Depois foram as 4h e pouco de um vôo conturbado. Não por turbulências, mas por grupinhos de pessoas achando que estavam na Vila Madalena. Em pé no corredor, copo de vinho na mão, falando alto e rindo (um deles exatamente na fileira de trás). E crianças fazendo birra. E aeromoças lentas.
Mas a comida tava gostosa.
E chegar em casa e finalmente dormir na minha própria cama… Delícia!
Sem falar na recepção querida da Maní querida!




Bom, a semana de Brasil foi ótima e merece um post com mais atenção – mas sem fotos, porque, pra variar, esquecemos de tirar. Esse de hoje é só pra avisar que estamos em casa.


Dia frio, sol brilhante e a tranquilidade na rua lá fora…. é, de volta a Santiago!

Espera passar o avião

São 4h30 de uma manhã gelada em Santiago e me encontro sentada em frente ao portão de casa com mala e cuia (quase literalmente) esperando o Lucas conseguir um taxi pra levar-nos ao aeroporto.
Ao mesmo tempo em que constato que estamos escapando da primeira semana mais fria do ano em Santiago, fantasio sobre o que fazem os vizinhos dos prédios em volta que a essa hora estão com as luzes acesas… e percebo então um novo “aperto no coração”.
Além da dorzinha (que já vinha há alguns dias comigo) por deixar a Maní em Santiago e ficar uma semana longe dela, noto que vou sentir saudades de casa. O curioso é que há pouco tempo atrás estava já imaginando o tweet de quando chegasse no Brasil, qualquer coisa como “em casa…” ou “Querida, cheguei!”. E agora o “em casa” tinha ficado dez andares acima, com a Maní dentro, logo menos estaria há uma cordilheira de distância e eu me preparando pra voltar pra um Brasil que não via há mais de 4 meses…

No ônibus de guarulhos pra São Paulo acordei quando passava em frente à Pinacoteca – um dos meus lugares favoritos na cidade – e ri sozinha ao ver que está tendo uma exposição lá chamada “Aos curiosos”… Ou seja, só uma parte dos meus leitores pode ir…hehehe
Não demorei mais do que cinco minutos pra ver com os olhos dos chilenos as tais cores mais intensas do nosso país – caramba! Que céu azul, que árvores verdes e que prédios cinzas!!! Aliás, caramba, quanto prédio em um lugar só!!! Como e pra que amontoar tanto prédio, tão altos e tão pertos um dos outros???
Pensei tudo isso com sinceridade, com a “frescura” de um olhar quase estrangeiro.
Durante as primeiras 24h aproximadamente continuei respondendo às pessoas nas ruas com “gracias”, “perdon” e “permiso”… meu radar de “opa! Escutei português, tem brasileiro por perto” ficou bem louco…
Nessas mesmas 24h comi tanto, tantas coisas gostosas das quais estava com saudades que a previsão de volta pro Chile é com sobrepeso de bagagem. Isca de frango, salame, pão da la ville, mortadela, ovomaltine, etc, etc, etc…
Cheguei na casa dos meus pais e achei tudo mais claro do que me lembrava. Os gatos estavam um poucos desconfiados com a minha presença e os copos não estavam no lugar de sempre.

Hoje é o terceiro dia de Brasil e ainda ontem a gata veio deitar no meu colo pra assistir filme, no sábado os amigos me divertiram como só eles sabem fazer, hoje o trem andou na mesma linha velha conhecida e o shopping Eldorado estava exatamente igual.
Rapidamente voltei pra posição de cidadã daqui e estou tentando aproveitar ao máximo pra matar as saudades (de pessoas, animais, comidas, lugares…)
Mas de quando em quando vem aquela pontada, a lembrança saudosa de que por mais que eu me sinta em casa aqui por uma boa porcentagem do tempo, minha casa está em outro lugar. Um lugar lindo e querido, mais civilizado, mais poluído, mais frio (fora) e mais quente (dentro), o lugar onde nasceu minha filha e onde ela me espera (que saudade!!!), o lugar que hoje é meu lar!

E aquela esquizofrenia (lembram dela no meus discurso de casamento?) de estar aqui estando lá e estar lá estando aqui, de não saber qual idioma usar, de sentir saudade quando vai e quando vem…
Tudo isso faz parte da vida que escolhi levar… a tal vida dos “expatriados”.
Tudo isso me faz crescer (inclusive pelas dificuldades), faz dar mais valor a cada uma das coisas pequenas que dão prazer e podem fazer falta.
Tudo isso me faz ser hoje uma pessoa diferente da que eu era 4 meses atrás (mesmo que não completamente).
Tudo isso enriquece as experiências dessa nova vida.
E eu amo muito tudo isso. (será que ganho uma grana pelo merchand?? hehe)