"As minhas meninas"

Antes da Cecília nascer eu já sonhava com o lindo relacionamento cão-bebê que nos esperava…
Tinha lido sobre como fazer as devidas adaptações e estava bem tranquila, afinal, Maní é um gato-docinho-em-forma-de-cão! rs

Durante a gravidez fiz sempre questão de incluir a Maní em tudo.. tudo que a Cecília ganhou – TUDO – foi devidamente cheirado e analisado pela irmã mais velha, o quarto continuou liberado pra ela como sempre foi e a gente inclusive a incentivava a entrar lá e rolar na cama nova no chão! rs
Ela se interessava por tudo, se divertia no quarto – alguns bichinhos de pelúcia tiveram que ser resgatados da boca dela, confesso (rs) – e inclusive o usava pra guardar seus próprios brinquedos, lembram?? rsrs

Maní acompanhou de perto todo o trabalho de parto – só perdeu o expulsivo por motivos técnicos de “cachorro não pode entrar no hospital”! hahaha


Se eu tava aqui…


….Maní tava aqui!

Nos dias que ficamos na maternidade a Sil e o Lucas trouxeram pra casa umas roupinhas usadas pela Cecília pra Maní ir acostumando com o cheiro… E quando tivemos alta, chegamos de câmera ligada, esperando gravar um daqueles vídeos maravilhosos de cachorrinhos e bebês que vivem bombando na internet! Mas não foi bem o que aconteceu! hahahaha
Eu entrei primeiro, sozinha, e fiz uma festa pra ela – e ela uma festa pra mim! Em seguida veio o Lucas, com Cecília no colo, sentou com ela no sofá e a Maní foi toda felizona, atropelando a irmã pra dar oi pro pai! rs
Quando mostramos a bebê pra ela, ela se limitou a dar uma cheiradinha e só! Rapidinho passou o interesse!
E nos primeiros dias foi assim: Maní não dava nenhuma bola pra Cecília! Mas sempre que a caçula começava a chorar Maní corria comer um pouco ou buscar o brinquedo dela pra trazer pra gente – as duas coisas que sempre garantiram atenção máxima pra ela na casa! Ciúmes? … é, provavelmente um pouco…rs
A gente não forçava o contato das duas, mas sempre dava um jeito de deixá-las próximas, pra Maní ir se acostumando…

Recebendo carinho nos primeiros contatos com a irmã!

Dormindo juntas!




Eu disse a gravidez inteira: “eu que mimei a Maní, eu que vou ter que me virar pra dar conta da carência quando chegar a Cecília! Se as mães de dois humanos conseguem cuidar do mais novo e dar atenção pro mais velho, eu vou conseguir também!”
Mas nos primeiros dias, confesso, foi bem difícil me dividir como devia! Maní saía pra passear todo dia com a Sil, as duas brincavam muito, viviam correndo pela casa! Minha mãe sempre garantia uns mimos, um carinho, o prato cheio de comida… Maní estava bem cuidada, eu sabia! 
Mas mesmo assim eu me sentia mal, morria de culpa por não fazer como tinha prometido… Acho que lá pela primeira semana de vida da pequena foi quando a coisa da culpa apertou! Lembro que passei o dia angustiada e no final do dia, conversando com a minha mãe, consegui desafogar um pouco…falei, chorei, senti… e aí percebi que só quem podia mudar a situação era eu! E aí eu mudei! No dia seguinte já assumi algumas responsabilidades da Maní de volta pra mim: voltei a dar comida pra ela (e ficar do ladinho elogiando enquanto ela comia, como ela gosta!), voltei a levá-la pra passear quando a Cecília estava mais tranquila… eu me senti BEM melhor e, tenho certeza, Maní também!

No começo, se minha mãe estava com a Cecília no colo, lá ia Maní deitar do ladinho delas… se eu estava sozinha na cama ou no sofá, Maní também tentava ficar por perto…
Demorou 16 dias pro cão, finalmente, deitar no meu pé enquanto eu estava com a caçula no colo, mamando! Dá pra imaginar o tamanho da alegria e do alívio da mãe aqui?!?!


Momento devidamente registrado, CA-LA-RO!!!


A partir daí, Maní começou a se interessar mais pela Cecília…ia sempre dar uma olhadinha quando a irmã chorava – e vinha angustiada pedir minha ajuda quando Cecília chorava no colo de outra pessoa! rs
Ficava curiosa quando a bebê se mexia e fazia barulhinhos:



E descobriu que tinha ganhado um novo par de pés pra dormir:





Maní começou a se aproximar por vontade própria, mas a verdade é que ela parecia ainda não entender muito o que era aquela coisinha barulhenta que ganhava tanto nossa atenção…
Até que, um dia antes de Cecília completar dois meses de vida, o cão teve uma revelação! hahaha

Meus sogros estavam aqui, era um domingo e estávamos sentados à mesa, almoçando…Cecília havia sido colocada, dormindo, em seu gimnásio (como chama isso em português? é esse o tal “tapete de atividades”? rs) mas um tempinho depois acordou e começou a reclamar. Como estávamos comendo, ficamos sentados, só falando com a Cecília pra ver se ela esperava, mas não tava funcionando, a reclamação ia só aumentando… E aí que Maní resolveu fazer alguma coisa! Sabe o quê?
Foi distrair a irmã! Levou o gato, aquele seu brinquedo preferido!, pra Cecília e se colocou em posição, esperando a pequena jogar pra ela ir buscar!!!!

Também registrado! =)

Considero que essa foi a primeira vez que Maní reconheceu Cecília como pessoa! E, juro, meu coração quase explodiu de amor e felicidade!!! Pulei da cadeira, agarrei a Maní, enchi de beijos e joguei o gato, pra ela não ficar frustrada esperando! rs

Desde então, Maní está apaixonada pela irmã! Está SEMPRE perto dela, chora junto quando Cecília chora e não a deixa ficar sozinha nunca!
Eu perdi minha sombra-companheira, porque se deixo Cecília dormindo sozinha em um cômodo, Maní não vem mais atrás de mim, ao invés disso fica lá, cuidando da irmã!!!


Dessa vez, espontaneamente dormindo juntas!


Oh o gato ali!!


O cúmulo da fofísse Manísistica é ela se acabando de pedir carinho pra Cecília!!! Quer ver?




Como dá pra perceber, a relação ainda não é de mão-dupla… 
Essa semana Cecília recém começou a enxergar a Maní, olhar pra ela e fixar o olhar nela, mas ainda não acha graça nenhuma, não! rs
Óbvio que não vejo a hora disso acontecer e que, quando acontecer, vou registrar e vir aqui correndo mostrar!!! ❤


Ah! E o ciúmes da Maní? Bom, com a gente passou rapidinho… 
Ela só ficou mais tempo sofrendo com as visitas, já que perdeu praticamente toda a atenção que recebia imediatamente de todo mundo que entrava na casa! Mas aos poucos ela vai se acostumando – e a gente também, que lembra de pedir pros amigos não esquecerem dela quando chegam!rs


Dividir a tia favorita deve ser o maior desafio da pequena…!

Anúncios

10 pensamentos sobre “"As minhas meninas"

  1. Aaaaaiii!!!! Morri de amor com esse post! Que coisa mais linda!!! Passamos por aqui pelas mesmas etapas, Gabi! Meu sentimento de culpa, o retorno de algumas obrigações que eram minhas! Cauã sempre permaneceu junto de mim, enquanto eu amamentava, enquanto dava banho em Elis. Até hoje, quando vou botar ela pra dormir, ele fica embaixo do berço, esperando. E a bebê, hoje com cinco meses e meio, descobriu o irmão (sim, aqui nós também tratamos de irmão) quando fez uns três meses e pouquinho. Ela AMA ele! e como agora ela já senta com apoio de almofadas, deixamos ele lamber ela (nos pés, nas perninhas), ela agarra nas orelhinhas dele, aperta a cabeça. Aliás, a primeira gargalhada de Elis foi pra Cauã!
    Muito bom ver nosso filhos se entendendo, se conhecendo e vivendo juntos, em harmonia!
    Bjs na Maní, na Cecília e em vc! Lindas!

    Curtir

  2. Não tem noção do quanto eu amei esse post
    pq eu tenho esse pensamento
    fico pensando quando a Laura chegar
    como que vai ser a reação da pequena.
    Já estamos pensando como q vai ser com as visitas e tals
    que é o que mais stressa ela ela fica doidinha kkkkkkkkkkk late late
    mais o carinho meu do meu marido, da minha mãe e da minha irmã
    vai ter que ser igual pra ela
    se não ela vai sentir mesmo
    espero que lá em casa seja igual por ai
    bjãooo

    Curtir

  3. Aiii!!!! Preciso ver essa cena da Elis agarrando o Cauã!!! (aliás, adoro o nome dele! haha)
    Primeira gargalhada pro irmão é pra mãe morrer de amores, hein?! rs

    (aqui a única hora que Maní não participa é a do banho – ainda não descobri se ela fica com dó da irmã ou com medo de sobrar pra ela!! hahaha)

    Sem dúvida nossas meninas serão pessoas melhores, por crescer com irmãos peludos em casa!! <3

    Beijos em vcs!!

    Curtir

  4. Agueda, acho que preparar a pequena e se preparar tb é fundamental!!! Com muita atenção e muito amor, vai dar tudo certo, tenho certeza!!
    (ah! se prepare tb pra ter a bebê acordada pelos latidos, então… aqui Maní não late, mas às vezes a Cecília acorda com o barulho dela correndo pela casa – as unhas no chão de madeira, sabe?! rsrs)

    Beijos

    Curtir

  5. =)

    Eu tive gato minha vida toda, Nana, Maní é a primeira versão canina da minha vida e, oh, impossível não se apaixonar!!!
    Se a relação das duas já é linda agora, fico só sonhando em como isso vai fazer bem por aqui!! =)

    Beijoca!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s