"E mais dia, menos dia…"

Hoje não foi aniversário de nada, nem dia de santo nenhum, mas pra mim foi um dia de pequenas vitórias!

Sábado, dia 16/02/2013.

 Hoje eu dirigi 3 SUV enormes (pro meu conceito de carro…hahaha) e conclui que é bem menos assustador do que eu imaginava que seria!
Explico: estamos querendo trocar nosso carro – nosso querido e amado Fit tá completando dois aninhos e tá na hora de dizer tchau – e o Lucas cismou que quer um SUV. Não sei porque…só porque ele mede 5 metros e fica apertado em carrostamanhosnormais… hahaha. 
Eu venho sendo contra essa idéia por dois motivos: 
1- Acho meio desperdício de dinheiro comprar carro grande.
2- Morro de medo de dirigir “caminhões” e tenho mais medo ainda de perder toda minha super evolução motorística dos últimos meses, travar de medo e voltar a ser pedestre e tempo integral.

Bom, hoje fomos ver (mais uma vez) os modelos de carros e fazer test drive neles… E não é que eu descobri que dirigir SUV não é nenhum bicho de sete cabeças?!?!? Fiquei feliz e satisfeita com a descoberta! É verdade que minha falta de noção de espaços e tamanhos dificulta a tarefa, mas descobri que é confortável e possível de se acostumar! Gostei!!!
Quanto ao motivo 1, chegamos à conclusão de que tenho alma de pão-dura e vou morrer pobre de espírito! hahahhaha

Vitória número dois:
Provei um pedaço de beringela assada com tomate seco e queijo e achei gostoso!
Sério, minha evolução anti-frescorística tá me matando de orgulho!!! Essa semana fiz lasanha de espinafre, comi tomate cereja cru e hoje teve essa… beringela e tomate seco na mesma garfada e eu disse: “hmmm..gostoso!”!!! (é verdade que em seguida eu disse: “tem gosto de alguma coisa…sangue, acho…”, mas abafa essa parte! hahahahahhahahaha)

E, por último, mas não menos importante:
Hoje, pela primeira vez na vida, corri 5 quilômetros!!!!
Nem em junho do ano passado, quando estava correndo com frequência por quase três meses (antes de machucar o pé…) eu chegava a isso… Estava seguindo um programa pra começar a correr e no final sempre corria os 30 minutos do programa, o que dava de 4 a quase 5 k, mas nunca os 5 k inteiros…
Há duas semanas, no dia 03/02, voltei a correr pra valer, dia sim, dia não, me esforçando, colocando metas, suando muito…e hoje, al fin, corri meus primeiros 5 k! E numa velocidade média bacana até – especialmente em comparação com as minhas outras velocidades! Tô bastante orgulhosa de mim! E motivada pra 
continuar!



Os planos agora são melhorar a velocidade, pra só depois aumentar a quilometragem de novo.. quero, em abril, correr 10K na maratona de Santiago! Vamos que se puede!!!

Aliás, “vamos que se puede” é a frase do dia!
Dia de pequenas vitórias que mereceu até um trago comemorativo no final, com a companhia de bons amigos e uma pizza deliciosa! (abafa-2: estou levemente alcoolizada, depois de um daiquiri de frutilla…hehehe)
Só faltou o maridovelho, que não quis sair de casa… 


Moral da história: com pequenas vitórias a gente chega lá!!!
Daqui a pouco estarei dirigindo ônibus de viagens, comendo banquetes saladísticos completos e correndo maratonas inteiras!!! 
Porque sonhar é o primeiro passo, e ir devagar é começar a ir – sempre bom lembrar!!!




ps.: tenho pedido aos amigos no facebook pra deixar os comentários aqui no blog e não lá no fb…
Explico-2: estou em um processo de tentar reviver esse-amigo-blog… comentários aqui ficam guardados no devido post, deixam o blog mais atrativo e são mais fáceis de serem entendidos e acessados – tudo essencial pra recuperação verdadeira do xuxu aqui…
Soube que algumas pessoas tem tido dificuldades de comentar pelo blogger…peço, por favor, que me expliquem quais são as dificuldades… pensei em fazer um post explicativo pra ajudar e ver se resolve o problema…rs. E aproveito o ps pra agradecer os acessos e comentários, assim como as presenças constantes e as “voltantes” nessa nova fase do blog!

Beijos a todos!

Anúncios

"Mas vou até o fim!"

Foram 17 jornadas. 6 noturnas seguidas. Dias bons para o som, dias difíceis, dias de Gabi chata, dias de Gabi sociável, dias de equipe concentrada, dias de equipe acabada, dias de atores incríveis, dia de frio, dia de visitas caninas, dias de fome, dias sem banheiro…rs

Mas, muito mais do que isso tudo, foram 7 anos de faculdade – 2 de Terapia Ocupacional, 3 de Audiovisual e 2 de Cine! Foram 7 anos de diversão, de aprendizagem, de crescimento, de sofrimento, de infindáveis crises vocacionais…

E hoje, finalmente hoje, foi o dia de filmar o último plano do filme, foi o último dia de filmagem, último dia de “La Paradoja de Zenón”… e foi também e, principalmente, meu “último dia de faculdade”!

Muitas vezes pareceu que esse dia não ia chegar nunca – vide os post chorões sobre esse assunto nesse blog..rs – mas ele chegou! Chegou!!!!

 21/12/2012 não foi o fim do mundo, foi um dia finais muito, MUITO mais importantes!!!!!

Acabou também minha energia, claro, mas não podia deixar de vir aqui fazer este mini post comemorativo, especialmente pra agradecer a todos que me acompanharam e tiveram paciência comigo nesse caminho… valeu a pena! Super obrigada!!!!!

Amanhã bem cedinho pegamos o avião pra ir comemorar e passar as festas perto das pessoas queridas – nos esperem!!!


Beijos felizes, aliviados, cansados e um tantinho emocionados! =)


"Quer andar de carro (velho), amor, que venha!"

Em março do ano passado escrevi esse post aqui, contando que estava voltando a dirigir, encontrando coragem pra me arriscar um pouco mais.

Mas na vida real as coisas não se desenvolveram tão belamente assim…

Eu realmente comecei a dirigir mais (visto que eu não dirigia NADA antes, não precisava muito pra ser “mais” rs), mas sempre com alguém do meu lado e tentando fugir sempre que possível da tarefa!

De fugidinha em fugidinha, fui deixando a direção de lado de novo… fiquei meses e meses sem dirigir e já achei que tinha esquecido como fazia.

A nova desculpa era a que “eu ainda tenho que tirar a carta chilena – a licencia de conducir”. Mas se eu não dirigia há séculos, como seria capaz de passar na prova??
Nessa história enrolei mais uma eternidade: “nas minhas férias eu tiro a carta”, “quando voltar do Brasil eu tiro”, “quando começarem as aulas eu tiro”, “na férias de julho eu tiro”…. E assim passou um ano e meio de Chile, com Gabi sem carta e sem pegar o carro direito.

A verdade é que eu morria de medo! Se ia alguém do meu lado sentia a segurança de que esse alguém ia prestar atenção e me avisar antes que eu fizesse cagada (por um bom tempo, aliás, esse alguém só podia ser o Lucas, porque eu sabia que ele, de fato, fazia isso).

Mas de alguma forma, muuuuuito lentamente, fui “aprendendo a dirigir”, ganhando um pouquinho de confiança por vez, sentindo que já não precisava tanto dos alertas do co-piloto… ganhei também os incentivos da família, que veio me visitar e aprovou minha direção.. ganhei a companhia da amiga que ia do meu lado, mas sem falar nada, distraída e confiando mais em mim do que eu mesma..

E dessa somatória nasceu minha licencia de conducir!




Não sei explicar de onde, mas uma semana surgiu a coragem, estudei pro exame teórico e fui lá tirar a bendita! (aqui não é obrigatório fazer aula, você vai, faz psicotécnico, exame médico, prova teórica, prova prática e no mesmo dia a carteira está pronta!)

Eu tinha medo de reprovar no psicotécnico, juro!!! (aqui é diferente…mais tecnológico e complexo..rs)
E não tenho palavras pra explicar o alívio que fui sentindo a cada etapa que completava… acho que nem eu acreditava que daria tudo certo, sabe?!
Mas deu!!!

E uma vez de carta na mão, meu medo diminuiu um montão!!!
No dia seguinte já saí sozinha (foi a segunda vez na vida!), e no dia seguinte a ele, e no seguinte… e no final de semana corri pra terminar de lavar a louça rápido pra ter tempo de ir dirigindo buscar uns amigos!

Ter conseguido vencer esse medo merece muita comemoração! Porque não é só que eu tenha aprendido a dirigir, ganhado a liberdade de ir e vir de carro, deixado de atrapalhar os outros com minhas eternas caronas…

É mais do que isso! Eu venci meu medo! Eu achei uma coragem que não sabia que tinha!
E essa é a parte mais gostosa!!!

Aprendi com o Lalo que cada pessoa tem seu tempo pra fazer suas coisas e que temos que respeitar esses tempos.
Pois bem, fui bem devagar e nunca forcei, mas demorei tanto e tanto que já nem acreditava mais que esse tempo terminaria… até que, puff, magicamente terminou! Agora eu dirijo! Agora posso ajudar os outros e posso cuidar de mim!

Sempre me virei muito bem a pé – sou andarilha por natureza – mas a vida tá bem mais fácil com o carro na mão!!! (até porque o coitado tava cansado de ficar tanto na garagem…)

E, veja  bem, não é que eu tenha me tornado um ás do volante, ou que saia por aí tranquilamente… não se preocupem, ainda vou nervosa no carro, com atenção extra e mesmo assim fazendo cagadinhas…
Mas agora com a coragem de continuar insistindo e sabendo que é assim que vou melhorando! 
=)